Afinal, o vinho tinto é saudável ou não?

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Você já deve ter ouvido falar que o resveratrol, um polifenol encontrado no vinho tinto, não é a maravilha antioxidante que ele é. Um estudo publicado em maio na JAMA Internal Medicine descobriu que o resveratrol não ajudará você a viver mais tempo.

As boas notícias? Existem outros antioxidantes benéficos no vinho tinto. Um estudo de 2014 publicado no The Journal of Nutrition sugere que as antocianinas podem proteger contra o diabetes tipo 2. As antocianinas são encontradas em uvas vermelhas, vinho e frutas.

Resultado de imagem para vinho tinto

Além disso, um estudo publicado na BMC Medicine mostrou uma forte ligação entre um aumento da vida útil e uma dieta rica em polifenóis, especificamente estilbenos, encontrados no vinho tinto e nas azeitonas.

Os fatores do estilo de vida também podem afetar se o vinho é benéfico. Um estudo da República Tcheca mostrou que o consumo moderado de vinho tinto ou branco (uma a duas taças para mulheres 2 duas a 3 para homens) ajudou a proteger o coração, mas apenas em participantes do estudo que se exercitavam regularmente.

Para descobrir mais sobre a relação entre vinho tinto e saúde do coração nos guiamos em uma entrevista de Matthew Mayer, especialista em pesquisa sênior da Heart and Stroke Foundation of Canada (HSF). “O excesso de consumo regular de álcool realmente aumentará a pressão sanguínea ao longo do tempo e de forma aguda”, diz ele.

Afinal, o vinho tinto é saudável ou não?

O HSF diz que os melhores benefícios para a saúde vêm de não beber nada. “Se você bebe, não deixe de seguir as diretrizes de baixo risco para consumo de álcool”, aconselha Mayer.

De acordo com o Centro Canadense de Abuso de Substâncias, o limite para as mulheres é de duas bebidas por dia, com um máximo de 10 por semana; para os homens, são três drinques por dia, 15 por semana. E as mulheres grávidas ou amamentando são aconselhadas a não beber nada.