Ursos pardos de Yellowstone agora estão a salvo de caçadores de troféus após tribunal anular Trump

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Um tribunal anulou a decisão de Donald Trump de permitir que ursos pardos fossem mortos por caçadores de troféus, o que significa que os animais agora estão seguros na Grande Yellowstone.

Alguns meses após a posse do presidente, ele removeu as criaturas majestosas da lista de espécies ameaçadas, o que significa que elas poderiam ser caçadas. A medida foi proposta inicialmente pelo Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA durante o governo Obama.

Ursos pardos de Yellowstone agora estão a salvo de caçadores de troféus após tribunal anular Trump

Mas, um tribunal federal de apelação decidiu que as ações de Trump eram ilegais e agora estão novamente protegidas pela Lei de Espécies Ameaçadas.

Até 2017, os ursos pareciam estar na lista protegida por mais de 40 anos, quando o governo Trump decidiu que os esforços de conservação haviam reabastecido com sucesso a população dos ursos. Isso significava que o Parque Nacional de Yellowstone estava agora aberto a caçadores em Wyoming, Montana e Idaho.

Mas conservacionistas e tribos nativas americanas tentaram apontar que os ursos ainda estão em risco, levando-os a um tribunal federal de Montana. Em setembro de 2018, o tribunal decidiu proibir a caça aos ursos amarelos de Yellowstone.

O Serviço de Pesca e Vida Selvagem de Trump não recuou, apelando rapidamente da ordem do tribunal distrital.

Tropas britânicas ajudam a realocar rinocerontes negros ameaçados longe de caçadores
Mas nesta semana, o Tribunal de Apelações do Nono Circuito – um tribunal federal que pode anular as decisões do tribunal – encerrou a saga, anulando os desejos de Trump e rejeitando o apelo e mantendo a decisão de 2018.

E para realmente martelar sua decisão em casa, o tribunal também disse que o Serviço de Pesca e Vida Selvagem não usou a ciência exata para tomar sua decisão. Ele disse que eles não tinham sistemas aplicáveis ​​para proteger a saúde genética dos ursos pardos.

Ele também disse que os animais são um “símbolo icônico do oeste das Montanhas Rochosas”.

A decisão do tribunal foi tomada por um painel de três juízes, dois dos quais foram indicados por Barack Obama.

Um deles escreveu: “Como a conclusão da regra de 2017 de que a saúde genética não representa mais uma ameaça ao urso pardo de Yellowstone não tem base científica, essa conclusão é arbitrária e caprichosa”.

Andrea Zaccardi, advogada sênior do Centro de Diversidade Biológica, disse em comunicado enviado ao Green Matters: “Esta é uma tremenda vitória para todos que apreciam os ursos pardos de Yellowstone e para aqueles que trabalharam para garantir que estejam protegidos pelo Lei de Espécies Ameaçadas de Extinção.

“Os ursos ainda têm um longo caminho a percorrer antes da recuperação. Caçar esses belos animais no parque nacional mais precioso da América nunca mais deve ser uma opção.”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible