Início Utilidade Pública

Conheça 9 termos do mercado financeiro e evite confusão

Alguns termos do mercado financeiro precisam ser reconhecidos desde o começo, quando a pessoa nem começou a investir ainda. Por exemplo, Selic, CDI, Tesouro Direto, Renda Fixa. Você sabe o que isso tudo significa? A gente explicar – até mesmo porque é importante.

Além do mais, considere que o entendimento de alguns termos pode fazer você ter escolhas mais inteligentes na hora de investir. Por exemplo, muita gente acha que o CDI é um investimento. Mas, não é. O CDI é uma taxa, que vamos explicar abaixo.

Além do mais, um investidor novo deve considerar a renda fixa antes da renda variável. Mas, o que são essas rendas? Obviamente, uma é fixa e outra variável. Mas, o que isso quer dizer? A gente também explica.

Os termos do mercado financeiro

Considere que abaixo temos a seleção dos 9 termos do mercado financeiro que são mais comuns. No entanto, além deles existem outros que você poderá ir conhecendo com o tempo e conforme estuda ainda mais o mercado das finanças. Mas, com certeza, esses que estão abaixo é um ótimo começo.

1 – Taxa Selic

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. E Taxa Selic é o nome dado para o indicador diário por meio do qual as taxas de juros são cobradas entre os bancos. Portanto, é uma base para a Taxa Básica de Juros da Economia brasileira.

Do lado dos investimentos financeiros, a Selic é muito usada para referenciar vários ativos. Por exemplo, temos um título do Tesouro, chamado de Tesouro Selic, que acompanha exclusivamente esse índice. Portanto, ela é importante em vários sentidos.

2 – Tesouro Direto

O Tesouro Direto, que foi citado acima, é um título federal que é emitido pelo governo federal, através do Tesouro Nacional. Recentemente, ele passou a permitir um tipo de investimento popular, onde dá para começar a guardar dinheiro a partir de R$ 35.

Sendo assim, o brasileiro ou a empresa pode investir dinheiro nas dívidas públicas e depois recebe o valor investido de volta, sendo que é acrescido de juros na data de vencimento, que já foi prevista durante a contratação.

3 – Renda Variável

Outro dos termos do mercado financeiro que você pode não conhecer ainda é o da renda variável. Aliás, as vezes você até conhece, mas ainda não sabe exatamente o que é. Essa renda é formada por investimentos que tem rendimentos que podem variar.

E essa variação pode mudar com base em movimentos do mercado, índices, economias globais, etc. No caso, não há garantias de que o rendimento vai acontecer e, além do mais, o risco é maior. Por outro lado, também existe a chance de ganhar mais, mesmo que arriscado.

4 – Renda Fixa

Agora que você sabe o que é renda variável fica mais fácil entender o que é a renda fixa – que é o oposto. Sendo assim, todo investimento que tem um rendimento pré-fixado, que é conhecido durante a contratação, é considerado da renda fixa.

Lembre-se, no entanto, que você fica sabendo quanto vai render em termos de porcentagem e não necessariamente de reais. Você já deve ter visto CDB que rende 105% do CDI ou LCA que rende 95% do CDI, não é mesmo?

5 – Pregão

Pregão também está entre os termos do mercado financeiro e bem focado na renda variável, isto é, no mercado de ações, da bolsa de valores. O pregão é um tipo de licitação usada para efetuar a aquisição de serviços e bens comuns.

Geralmente, nessa licitação é possível encontrar serviços e bens comuns que são para as empresas, que podem dar lances em sessão pública, presencial ou online.

6 – Liquidez

Já a liquidez é um termo que tem que ser conhecido desde antes que você comece a investir. Mas, apesar do nome meio diferente, saiba que é muito fácil entender como isso funciona, aliás, o que é a alta liquidez de um ativo.

Basicamente, a gente tem a facilidade de transformar o investimento em dinheiro. Porque após aplicar o seu dinheiro em um investimento, ele só poderá ser retirado quando você pedir o resgate. E alguns tem vencimento, sendo que se sacar antes você perde rendimento.

Por exemplo, os imóveis possuem liquidez baixa porque levam tempo para serem vendidos – além de ser algo bastante burocrático. Já o Tesouro Selic tem alta liquidez porque você pode sacar o dinheiro no dia seguinte do pedido de resgate.

7 – Fundo de Reserva

Fundo de Reserva também é importante de ser conhecido. Inclusive, é uma das expressões chaves da educação financeira. É algo que todo brasileiro deveria entender. Geralmente, recomenda-se que esse fundo seja de 3 a 6 o valor da receita de cada família.

Então, dá para concluir que ele servirá para cobrir gastos imprevistos e emergenciais que podem acontecer e gerar um endividamento. Isso é muito conhecido quando temos alguma crise financeira ou casos de doenças graves e desempregos.

8 – Derivativo

O próximo é um dos termos do mercado financeiro que é mais comum na renda variável. Derivativo é um instrumento que tem o valor final dependente ou parcialmente dependente do valor de outro ativo, que pode ser físico ou financeiro.

9 – CDI

O Certificado de Depósito Interbancário é uma taxa que se chama de “custo do dinheiro” aqui no Brasil. Mas, o CDI não é um investimento. Lembra que falamos sobre CDB e LCI ou LCA que rendem uma porcentagem sobre o CDI.

Sendo assim, é uma taxa importante que está muito próxima da Selic sempre.