Teoria dos seis graus de separação

Quantas pessoas existem entre você e o Presidente dos EUA ou entre você e alguém no interior da China? Como o mundo está cada vez mais conectado, talvez a distância que essas pessoas estão de você seja menor do que imagina.




Kevin Bacon

bacon_2458261b

Nos anos 90, Kevin Bacon era um dos atores mais ativos de Hollywood. Parecia que todo filme feito tinha ele ou alguém que já tinha trabalhado com Bacon. E foi em 1994, quando estava dando uma entrevista sobre o filme chamado The River Wild, que Bacon soltou uma frase que chamou a atenção de cientistas e matemáticos de todo o mundo e criou uma das teorias sociais mais famosas de todos os tempos.

Bacon falou que já tinha trabalhado com todas as pessoas de Hollywood ou, pelo menos, conhecia alguém que tinha trabalho com fulano. Essa história chamou a atenção de alguns estudantes de Albright College. Em pouco tempo, eles tinham criado um jogo onde o objetivo era conectar Kevin a qualquer celebridade de Hollywood.

O jogo consistia em dizer o nome de uma celebridade e conectar ela a Bacon usando outras pessoas que já haviam trabalhado com ele. Por exemplo, digamos que alguém quisesse conectar Bacon a Nicolas Cage. O primeiro passo era ver se eles não tinham feito um filme juntos. Se esse não fosse o caso, bastava buscar por alguém que tivesse trabalhado com Bacon e com Cage em filmes diferentes. Na maioria dos casos, encontrava-se um ator em comum. Se não desse certo na primeira vez, fazia o processo de novo, usando atores que trabalharam com os dois, e que, em um terceiro filme, aturam juntos.

A ideia ficou famosa e os estudantes apareceram em diversos shows de TV, tiveram contato com o próprio Bacon e lançaram um livro explicando sua ideia. O tempo passou até que alguém pensou, será que isso se aplica as pessoas normais também? Aí as coisas realmente ficaram interessantes.




Experimento do mundo pequeno

six-degrees

A ideia do mundo pequeno é bastante conhecida. Você já deve ter ouvido em algum momento que nós estamos separados de qualquer um no mundo por um intervalo de seis pessoas. Esse intervalo é chamado de seis graus de separação.

Durante muito tempo, essa história foi tratada como se fosse apenas uma lenda urbana, mas não é bem assim. Dezenas de estudos já tentaram desmentir essa ideia, mas ela parece ser mais real do que você espera.

Antigamente, alguns estudos feitos sobre o tema utilizavam pessoas, que recebiam cartas e deveriam passar ela adiante, para chegar a alguém. Caso o voluntário com a carta não conhecesse a pessoa, tinha que enviar para quem achava que fosse mais provável de chegar ao alvo. Milhares de cartas eram enviadas, mas devido ao desinteresse, poucas chegavam ao destino. Mesmo assim, aquelas que chegavam revelaram que a média de pessoas até o destino final era de seis passos.

Mas então veio a modernidade e os mesmos testes começaram a serem feitos por e-mail e finalmente tivemos uma resposta definitiva. Entre você e praticamente qualquer pessoa do mundo, realmente existe apenas um espaço de seis pessoas. Em alguns casos, a cadeia até a pessoa final é dez passos, podendo sempre variar, mas a média realmente revelou que nós estamos separados de qualquer pessoa por apenas seis outras pessoas de distância.

Claro que essa regra não se aplica a toda humanidade. Por exemplo, tribos isoladas ou aldeias desconectadas do mundo fazem com que não exista uma conexão entre todas as pessoas do mundo, mesmo assim, o fato de nós sermos capazes de nos comunicar com qualquer pessoa do mundo com apenas 6 passos de distância, mostra que aquela velha frase é totalmente real: “Que mundo pequeno esse”.

Reaja! Comente!
    Topo