Tarifa Branca: pague mais barato na conta de energia

Ninguém gosta de falar de contas, ainda mais quando se trata de contas fixas, como conta de luz e água. Mas, quando existe desconto ou tarifas inferiores, todos nós ficamos interessados.

Por este motivo, esse artigo vai tratar da famosa tarifa branca, que permite o pagamento de valores diferentes do usual em função da hora e do dia da semana em que se consome energia elétrica.

O que é tarifa branca? Com ela você terá a possibilidade de pagar um valor diferenciado, de acordo com a hora e dia da semana em que está consumindo energia elétrica. Se o consumidor adotar hábitos que priorizem o uso da energia nos períodos de menor demanda, já será possível sentir a diferença no bolso.

tarifa
Foto: (reprodução/internet)

Cartão de crédito, conta de água, etc, são tantos boletos e contas para pagar que chegam todos os meses que acabamos ficando acostumados, não é verdade? Algumas contas são fáceis de calcular e prever, mas tem umas que são mais complicadas para entender a lógica.

A conta de energia é uma que levanta um monte de perguntas dos consumidores, e isso não acontece à toa, já que temos dezenas de distribuidoras de energia no Brasil e cada uma delas têm seu próprio padrão de conta, ainda mais agora com a tarifa branca, que é mais uma variável na hora do cálculo.

ANÚNCIO

E agora os consumidores podem ficar um pouco mais confusos na hora de entender o valor da conta de luz, com esta nova variável que chegou.

Controle do consumo

A tarifa branca pode ter três valores nos dias úteis, que são: ponta, intermediário e fora de ponta. A responsável por estabelecer os períodos é a ANEEL, mas cada estado tem sua própria distribuidora, então, é bom levar em consideração a distribuição do seu estado.

Nos finais de semana e feriados, o que conta é a tarifa fora de ponta, durante as 24 horas do dia, caso queira mais informações sobre o ranking das tarifas, pode dar uma olhada aqui.

Como funciona a tarifa branca?

Afinal, exatamente o que é a tarifa branca? De forma resumida, é um mecanismo que estabelece diferentes valores de custo da luz durante o dia, por exemplo, em uma hora com pouca demanda de energia, a conta será mais barata. Lembra aquele exemplo do estacionamento? Confira abaixo.

Imagina que você precisa chegar no banco antes das 16 horas, chega no estacionamento e não consegue encontrar nenhuma vaga, pela quantidade de demanda de carros estacionados, quanto você pagaria por uma vaga?

E se você fosse de madrugada, no mesmo estacionamento, e estivesse cheio de vagas disponíveis, você pagaria? A lógica é a mesma, em um horário com mais demanda de pessoas querendo energia, ela será mais cara, em um horário com pouca demanda, será mais barata.

Esta tarifa é divida em 3 períodos, que variam de distribuidora para distribuidora, mas que são chamados de:

  • Horário de ponta: são aqueles momentos em que a demanda por energia está maior, no caso, seria o horário do estacionamento cheio.
  • Horário Intermediário: é aquele horário em que o estacionamento está cheio, mas ainda tem algumas vaguinhas, isso é, ainda não está com alta demanda, mas, também não está com baixa demanda.
  • Horário fora de ponta: são aqueles momentos com menos demanda energética, seria o estacionamento de madrugada.

Horários que são estabelecidos pela Tarifa Branca:

  • Horário de ponta: das 17:00 às 20:00 horas, com valores bem mais altos que o convencional, 93% de aumento para ser específico, um valor de 1,13617 R$/kWh;
  • Horário intermediário: das 16:00 às 17:00 horas e das 20:00 às 21:00 horas, valores um pouco maiores que o normal, um aumento de 24% “apenas”, ficando no valor de 0,73035 R$/kWh;
  • Horário fora de ponta: finais de semana e os outros horários, um valor 18% menor que o normal, sendo uma tarifa de 0,47923 R$/kWh.
tarifa
Foto: (reprodução/internet)

Vale a pena aderir à tarifa branca?

Para saber se vale a pena, você deve conhecer um pouco do seu perfil de consumo. Pois é possível tanto reduzir em cerca de 20% o valor da sua conta de energia como também elevar em uns 80%.

Se você está em dúvida se deve aderir, ou não à tarifa branca, vai depender bastante do momento em que você costuma consumir energia.

Adesão da tarifa branca

Para aderir à tarifa branca:

  • O consumidor precisa entrar em contato com a distribuidora local de energia e solicitar a mudança;
  • A empresa terá até 30 dias para instalar o novo relógio (sem custo adicional);
  • Se arrependeu de ter aderido e deseja voltar à convencional? Sem problemas, poderá voltar;
  • A distribuidora terá apenas 30 dias para voltar à tarifa normal;
  • Depois do retorno à tarifa normal, o consumidor terá 180 dias de carência para voltar à tarifa branca, se quiser.

Segundo a Aneel, “quanto maior a diferença entre a tarifa convencional e a tarifa branca fora de ponta, maior é o incentivo à adesão à tarifa branca“.

ANÚNCIO