A supercolônia mundial de formigas

Uma das características da humanidade que chamam a atenção em relação aos demais animais é a capacidade humana de colonizar todo o planeta Terra. Praticamente nenhuma outra criatura em nosso mundo conseguiu atingir tal façanha, a não ser um estranho grupo de formigas:




Formiga-argentina

55256321-megacephala17_crop-mr_1

A formiga-argentina, obviamente, é de origem sul-americana. Ela pode ser encontrada no país que lhe dá nome, no Paraguai, Uruguai e também na região sul do Brasil. Em comparação com as outras formigas com as quais as pessoas estão acostumadas, elas não tem nada demais, porém seus feitos embaixo da terra chamam a atenção.

As operárias medem, em média, 3 mm e conseguem passar por buracos que possuem algo em torno de 1 milímetro. A rainha não passa dos 6 milímetros e esses são, praticamente, todos os fatos interessantes sobre esse insetos.




A dominação mundial

ant-3

Apesar de serem bem semelhantes as outras formigas mundiais, essa espécie conseguiu algo que apenas humanos já atingiram: viver nos seis continentes.

Em 2009, um estudo científico feito pela Insectes Sociaux mostrou que algumas das maiores colônias mundias são de formigas-argentinas. Além de um grande agrupamentos na América do Sul, essas formigas, com a ajuda do homem que as levou para outros continentes, foram capazes de construir uma rede global de colônias.

Na Europa existem três colônias, que se estendem por mais de 6 mil quilômetros na costa do Mar Mediterrâneo. Da mesma maneira, uma colônia de 900 quilômetros habita os subterrâneos da Califórnia. Por fim, outra grande colônia vive no Japão. Além disso, existem outros agrupamentos menores em todos os cantos do planeta.

Uma das características marcantes de todos as espécies de formigas é que elas sempre brigam entre si quando são colocadas junto com formigas de outras colônias, que possuem um passado genético diferente. Isso ajuda a determinar se uma formiga faz parte da mesma colônia do que a outra. E, para a surpresa dos cientistas, quando as formigas dessas supercolônias foram colocadas juntas, não houve nenhuma briga.

Estudos do perfil químico dos hidrocarbonetos das cutículas desses insetos revelou que as formigas de todas essas enormes colônias são, na verdade, parentes que vivem em continentes distantes. Suas enormes colônias em vários cantos é comparável as colônias de humanos em todo o planeta.

Receba mais em seu e-mail
Topo