Minilua

Simples questões que ainda não possuem respostas

Apesar de já sabermos muitas coisas sobre o Universo em que vivemos, ainda existem muitas perguntas que a ciência não consegue responder. Mas se engana quem imagina que essas perguntas são questões mirabolantes e complexas. Pelo contrário, algumas dessas questões são tão triviais que mal se pode acreditar que, em pleno século 21, ainda não estejam respondidas. 

Por que os gatos fazem aquele “Purr”? 

A explicação mais simples para o ronronar de um gato é que seja uma expressão de felicidade ou contentamento, contudo nem sempre os gatos ronronam quando estão felizes. 

No entanto, não é esta a questão que inquieta os cientistas. Apesar de existirem muitas pesquisas sobre o assunto, o grande mistério é que não existe um órgão que é capaz de produzir ronronar na garganta de um gato, ou seja, a origem exata desta função na anatomia dos felinos é desconhecida.

Acredita-se que o som seja produzido por uma capacidade de contrair e dilatar a laringe. Outras pesquisas apontam que os gatos produzem esse ruído em uma frequência tida como terapêutica, que ajuda em funções como crescimento ósseo, fraturas, alívios de dores e cicatrização de feridas. Por isso, pode se imaginar que o ronrono é uma espécie de superpoder animal. Isso também explicaria porque o ronronar de um gato é um som tão tranquilizador para o ser humano.

Bom, dizem que gatos tem sete vidas, então, não me surpreendo

Como funcionam os ímãs?

Apesar de o magnetismo ser uma das forças fundamentais da natureza, existem muitas coisas sobre ele que ainda permanecem inexplicáveis. Não se entende, por exemplo, o porque das partículas carregadas criarem um campo magnético forte o suficiente para mover fisicamente as coisas. E porque elas fazem isso divididas em dois polos, um Sul e um Norte.

As coisas que sabemos sobre essa força variam entre “Sabemos que isto acontece e temos uma boa ideia do porque está acontecendo mas…” e vai até “é uma daquelas coisas que movimentam as partículas no nível quântico”

O que sabemos realmente é que cada elétron gera um campo magnético, mas eles só geram esse campo quando as partículas se alinham. Caso contrário, você seria atraído por sua geladeira toda vez que passasse por ela. Contudo, não sabemos o porque as partículas emitem um campo magnético e porque elas só fazem quando se alinham. Para complicar, temos uma péssima compreensão sobre o funcionamento do campo magnético da Terra, o que restringe muito nossa capacidade de entender o magnetismo. 

O MIT tem um laboratório dedicado a entender os mistérios do campo magnético, o detalhe é que esse laboratório funciona desde 1960. Então, não se frustre se você não entender muito bem com funciona o magnetismo nas aulas de física, a verdade é que ninguém realmente entende. 

Porque as girafas têm pescoços longos?

No início, acreditava-se que existiam girafas com pescoços longos e com pescoços curtos e, por consequência de uma seleção natural, as girafas com pescoços pequenos desapareceram, pois os animais com pescoços alongados atingiam os galhos mais altos e mais fartos, se alimentando e reproduzindo melhor.

Mais tarde foi descoberto que as girafas não estão preocupadas com a altura das folhas em uma árvore e sim com o tipo delas, fazendo com que essa hipótese sobre as girafas se tornasse insustentável.

Umas das possibilidades para a resposta, considera que as girafas desenvolveram longos pescoços como traços de acasalamento, mas não existem fatos suficientes que fortaleçam essa ideia. A hipótese mais obvia é a que considera que com pescoços mais altos é possível para a girafa enxergar mais longe seus predadores, no entanto o grande peso do pescoço se torna uma desvantagem na natureza e torna o animal uma presa fácil.

Ainda assim, é impressionante que uma estrutura de 3 metros de comprimento possa ter se erguido em apenas sete vértebras cervicais, a mesma quantidade que o seu pescoço possui. Para se ter uma ideia, o pescoço de um pássaro possui 14 vértebras, o dobro do pescoço da girafa! O que torna esse simpático animal um grande feito da Engenharia natural.

O que causa a gravidade?

Há mais de 350 anos, dizem que, por causa da queda de uma maçã, Issac Newton começava a estudar a gravidade. E em 2014 cá estamos nós, ainda sem entendermos o que exatamente a causa. 

A gravidade é uma força tão desconhecida para nós que, quanto mais fomos avançando no nosso conhecimento sobre o mundo, mais misteriosa ela foi se tornando.

Para começar, apesar de conhecermos as partículas que causam cada uma das outras forças fundamentais do universo, não conhecemos a responsável pela gravidade. Acredita-se que essa partícula pode ser um graviton, mas estamos bem longe de encontrá-la, porque, segundo os cientistas, nós simplesmente não sabemos como detectar tal coisa.  

Outro fator que embaralha nosso entendimento é que, dentre todas as forças fundamentais, a gravidade é a mais fraca. Ou seja, quando aproximamos dois prótons, por exemplo, a força de repulsão entre eles é muito mais forte do que a da gravidade, fazendo com que os prótons se afastem antes mesmo que possamos medir a força gravitacional existente entre eles. Isso a torna muito difícil de ser estudada em laboratório.

No entanto, o que mais impressiona é que a força gravitacional é a responsável por manter todas as galáxias reunidas, mesmo sendo 1040 (o número um seguido de quarenta zeros!) vezes menor que a força eletromagnética!