As 5 dúvidas mais frequentes para saber se o setor financeiro de uma empresa vai bem

ANÚNCIO

Vamos ser francos aqui nesse começo: o que você sabe sobre o setor financeiro de uma empresa. Aliás, da sua empresa? De um modo geral, a gente ouve muito respostas genéricas, como “manter o caixa no azul”, “criar um plano financeiro” e “vender cada vez mais”.

No entanto, não é somente isso que vai dizer como andam as finanças da sua empresa, sabia? Sendo assim, fomos atrás de informações mais detalhadas sobre cada um desses pontos. Aliás, sobre os pontos que sempre geram dúvidas nos empresários em começo de carreira.

ANÚNCIO

Por exemplo, “qual é, de fato, a importância de um planejamento financeiro empresarial” ou “como as finanças (ou o descontrole dela) pode levar uma empresa a falência”. Se essas também são dúvidas comuns na sua vida, continue lendo.

Até mesmo porque muito mais do que manter dinheiro no caixa, a questão financeira da empresa envolve temas mais profundos, como “capital de giro”, “controle das despesas” e “novas aquisições” ou “treinamento de funcionários”.

As 5 dúvidas mais frequentes

A gente garimpou essas dúvidas comuns e fomos atrás de um especialista para falar do assunto. Ele foi responsável por dar algumas respostas, que formaram todo esse contexto que temos aqui. O profissional é o Fabiano Akiyoshi Nagamatsu, consultar do Sebrae-SP.

ANÚNCIO

Então, vamos às dúvidas e as respostas!

1 – Qual a importância do planejamento financeiro?

A gente sabe que todo empresário, mesmo os mais novatos, entendem que o planejamento financeiro para a empresa é fundamental. O que muda é que nem sempre eles dão a devida importância para isso.

Para o nosso especialista, esse planejamento vai ser como uma base para sustentar todo o negócio empresarial. Assim sendo, é aquela coluna mais firme que vai assegurar que outras áreas possam trabalhar de forma mais consistente ou menos turbulenta.

Quais outras áreas? Especialmente, a gestão operacional, o marketing, os fornecedores, os investimentos no geral.  Dessa forma, o Fabiano conclui que “o empresário deve ter o controle das finanças em todas as áreas, do fluxo de caixa ao estoque”.

Aliás, ele ainda fala que em casos mais extremos, os empréstimos podem ser opções. Porém, não é importante considerar que se trata de empréstimo, mas sim sobre o objetivo de tal crédito. Dá para usar positivamente para “fazer novas aquisições e crescer ordenadamente”.

2 – Por que dar atenção ao planejamento?

Bem, visto isso, vamos ao próximo ponto. A gente viu a importância do planejamento financeiro. Porém, o que acontece aos empresários que não dão a devida atenção para isso? Será que existem efeitos colaterais, quais são eles? Vamos descobrir.

O Fabiano avalia que o “não planejamento”, como ele chama, indica que o empresário não tem visão de negócio. E isso é ruim? É bem ruim, na verdade. E é ruim porque nem sempre a experiência vai ser suficiente para levar o projeto adiante.

Há um trecho da entrevista dele que ele até comenta sobre o que é ser empresário hoje em dia e como isso se relaciona com essa visão de negócio: “para ser empresário é preciso ter uma visão generalizada do negócio”.

Mas, vamos supor que o empreendedor falhou. O que acontece agora? De um modo geral, o consultor do Sebrae vê que o caminho mais possível é o estado de falência. Ele diz que “26/9% das pequenas empresas brasileiras não conseguem se manter nos 2 primeiros anos de vida”.

3 – O que fazer quando as contas não vão bem?

Então, retomando o assunto aqui. Vimos a importância do planejamento e vimos que essa falta de cuidado pode levar a falência. Então, o que fazer quando as contas não estão indo bem? Será que dá para evitar esse grande prejuízo?

Para Nagamatsu dá para evitar isso, ainda mais quando o empreendedor se concentra em buscar ajuda especializada. O melhor exemplo disso é o próprio Sebrae.

“O Sebrae oferece consultorias especializadas presenciais nos escritórios espalhados pelo Brasil. Além da Consultoria Remota, em que os especialistas dão atendimento por telefone ou por videoconferência”.

Ah, mas será que o Sebrae ajuda mesmo? Fabiano garante que já recebeu diversas dúvidas que, após orientações dos consultores, acabaram sendo sanadas. E isso ajudou o empresário a se manter erguido com as finanças e com o projeto.

“O Sebrae também oferece cursos e oficinas à distância, capacitando interessados na gestão empresarial”, ele garante.

4 – Como manter a organização do negócio diariamente?

Vamos lá. Ao que tudo indica, esse texto está fazendo sentido para você, não é? Logo, saiba que aqui temos outra dúvida bastante comum dos novos empreendedores. Geralmente, essa pergunta vem antes de a pessoa abrir um negócio.

É sobre como conseguir gerir o negócio diariamente, considerado também o aspecto financeiro, o fluxo de caixa e tudo mais. O especialista comenta que por isso existe o plano, para se criar uma expectativa no faturamento das vendas.

Mas, para manter a regularidade, não tem saída, exceto: “verificar o controle diário do fluxo de caixa, das contas a pagar e a receber, do controle do estoque”.

Dessa forma, ele conclui avaliando que todas essas informações tornam possível fazer o negócio girar, programando compras, gerenciando os clientes, etc. Ele também diz que é sempre uma boa ideia ter uma boa relação com o contador.

5 – Qual a recomendação para quem está começando?

E vamos fechar falando de uma dica que o Fabiano pode dar para quem está começando no empreendedorismo. Perguntado sobre isso, ele diz que não há dúvidas de que o começo é mesmo pensando no bom plano de negócios.

Além disso, há outros pontos a serem estudados com calma, como “o nicho de mercado escolhido”, “a compra do maquinário”, “a compra das matérias-primas”, “os custos iniciais do investimento”, “o prazo de retorno”. etc.

Continue estudando sobre o empreendedorismo

setor financeiro de uma empresa

Nos últimos dias, a gente publicou muito conteúdo informativo de qualidade aqui sobre o empreendedorismo, especialmente para quem está começando nessa profissão. Dessa forma, separamos algumas dessas matérias para você dar continuidade nos seus estudos. Veja aí.

Uma é sobre os passos para vender mais mesmo na crise. Tem outra sobre o investimento em cursos e capacitação de funcionários. E, por fim, ainda podemos falar dos seguros para empreendedores, que podem dar uma certa confiança a mais para quem está começando.

ANÚNCIO