Segredos escondidos em obras de arte famosas

Há uma boa razão pela qual a arte é um dos aspectos mais sagrados e celebrados da civilização humana. Não só nos fornece uma porta para o passado, mas também nos permite entrar na mente dos gênios que a criam. Quando se trata de obras de arte atemporais como A Última Ceia de Leonardo da Vinci ou a pintura de Michelangelo na Capela Sistina, é amplamente aceito que estas são peças surpreendentes. Mas às vezes, obras como essas têm pequenos detalhes que as pessoas analisam há séculos. Faça uma viagem no tempo e descubra os segredos que podem ser encontrados em algumas das obras de arte mais valorizadas da história.

1- O retrato de Arnolfini : Jan van Eyck (1434)

Segredos escondidos em obras de arte famosas

O Retrato de Arnolfini por Jan van Eyck é uma pintura do comerciante italiano Giovanni di Nicolao Arnolfini e sua esposa. É comemorado por seu uso impressionante de espaço, iluminação e o realismo em retratar o casal e seus arredores. Enquanto a pintura em si é impressionante, há mais na pintura do que os olhos.

Embora as pessoas tenham encontrado simbolismo nos vários itens ao redor da sala, um dos aspectos mais discutidos pode ser encontrado no reflexo no espelho no fundo da sala. Se você olhar de perto, você pode ver duas figuras adicionais na porta. Um deles é assumido como sendo o próprio Jan van Eyck, imortalizando-se em um retrato de outros.

2- Provérbios dos Países Baixos : Pieter Bruegel The Elder (1559)

Segredos escondidos em obras de arte famosas

Para a maioria das pessoas que vêem os provérbios neerlandeses, eles podem ver nada mais do que uma pintura que ilustra uma cena de rua movimentada na Holanda. Embora muitas das ações realizadas pelos sujeitos na pintura pareçam estranhas, é porque elas têm um significado. A pintura de 1559 retrata 112 provérbios e ditos identificáveis ​​da Holanda que foram exibidos em ilustração literal.

Algumas delas incluem “ser um pilar”, “estar armado até os dentes”, “atirar penas ao vento”, “manter os olhos na vela”, junto com muitos outros. Bruegel é conhecido por seus temas em torno do absurdo dos seres humanos, e esta pintura demonstra isso.

3- A Capela Sistina: Michelangelo (1512)

Segredos escondidos em obras de arte famosas

A pintura de Michelangelo do teto da Capela Sistina conta a história do Gênesis em nove seções. Enquanto a pintura pode parecer bastante direta, acredita-se que Michaelangelo deixou uma mensagem. Embora Michelangelo fosse um artista incrível, ele também dedicou tempo ao estudo da anatomia humana. Ele fez isso para satisfazer suas próprias curiosidades, bem como para tornar sua arte o mais realista possível.

Na seção em que Deus está tocando os dedos com Adão, Deus parece estar dentro do que parece ser um cérebro. O cérebro, o nervo óptico, a glândula pituitária e a artéria vertebral também podem ser decifrados. Foi hipotetizado que Michaelangelo estava enviando a mensagem de que não apenas deu vida a Adão, mas também a capacidade de raciocinar e pensar por si mesmo.

4- A Última Ceia: Leonardo da Vinci (1498)

Segredos escondidos em obras de arte famosas

Ao longo dos anos, os muitos rumores sobre a pintura de Leonardo, A Última Ceia , foram provados como falsos. Especialmente os que nasceram do romance O Código Da Vinci, de Dan Brown No entanto, Leonardo estabeleceu-se como um gênio demais para deixar uma obra-prima tão atrasada sem mais nada. Além de cientista, matemático, inventor e artista, ele também era músico. Curiosamente, quando um músico notou os pãezinhos que atravessavam a mesa, ele notou algo.

Ele descobriu que, se você desenhasse as cinco linhas de uma pauta musical em toda a pintura, os rolos de pão em combinação com as mãos do apóstolo se alinhavam para fazer anotações musicais. Se lidas da direita para a esquerda, no estilo de assinatura de Leonardo, as notas supostamente compõem uma composição musical de 40 segundos.

5- Terraço do Café à Noite: Vincent Van Gogh (1888)

Segredos escondidos em obras de arte famosas

Num ápice, o Café Terrace at Night de Vincent Van Gogh pode parecer a representação de uma típica cena noturna na França, feita no estilo inconfundível de Van Gogh. No entanto, muitas pessoas vêem esta pintura como uma reviravolta na Última Ceia de Leonardo da Vinci Sendo filho de um pastor protestante, Van Gogh era religioso.

Assim como a pintura de Leonardo, o Café Terrace at Night apresenta 12 pessoas sentadas juntas, com a figura central toda de branco, cabelos compridos e em pé diante dos demais, representando Cristo. A figura escura na porta também pode ser assumida como sendo Judas. Embora isso possa ser um exagero para alguns, há também muitas imagens de crucifixo, incluindo a que está diretamente acima da suposta figura de Cristo na janela.

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem.