Saiba por que os jovens britânicos estão dando as costas às bebidas alcoólicas

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Como nação, os britânicos tradicionalmente amam uma cerveja.

Mas, muitos jovens estão contrariando a tendência, optando por abandonar a bebida e a ressaca que a acompanham.

Saiba por que os jovens britânicos estão dando as costas às bebidas alcoólicas

Por sua vez, o Reino Unido está vendo um aumento na demanda por bebidas com baixo teor de álcool, grupos sóbrios de boates e ‘festivais conscientes’.

De acordo com um relatório da revista médica BMC Public Health, a proporção de adolescentes entre 16 e 24 anos aumentou de 18% em 2005 para 29% em 2015. No mesmo período, o consumo excessivo de álcool diminuiu em mais de um quarto dos jovens.

Simplificando, ficar de porre não é mais tão atraente quanto costumava ser.

Harry Jones, 22 anos, bebia desde os 17 anos, mas ficou sóbrio em abril do ano passado.

Ele disse que a bebida começou a dominar sua vida, usando-a como muleta no final de um longo dia de trabalho. Mas desde que abandonou a bebida, Harry diz que se sente muito melhor e não tem planos de voltar.

“Estou definitivamente mais feliz”, ele diz. “Eu costumava trabalhar no setor de serviços e era extremamente fácil cair em um padrão de bebida, pois você está constantemente cercado por isso. Muitas vezes, é a única coisa que você espera no final do seu turno de 14 horas”.

Mas logo ele percebeu que, em vez de ajudá-lo, o álcool estava afetando gravemente sua saúde mental.

Olhando para trás, Harry diz: “Eu tive depressão durante toda a minha vida e foi até o final do ano passado que eu fui atingido com a percepção de que minha saúde mental estava em espiral e que isso se devia principalmente ao fato de eu estar bebendo quatro a cinco vezes por semana.”

Ele acrescenta: “Na verdade, não beber me fez perceber que eu tinha as habilidades necessárias para sair da hospitalidade e que não precisava passar a vida trabalhando nesses turnos ridículos – e agora tenho o trabalho que sempre sonhei.

“Sinto que estou de volta aos trilhos com a minha vida e definitivamente mais no topo da minha saúde mental agora.”

Estima-se que o tratamento para condições relacionadas ao álcool custe ao NHS cerca de £ 3,5 bilhões por ano – ou £ 120 para cada contribuinte e 3,6% de seu orçamento anual – de acordo com os últimos dados disponíveis do Health and Social Care Information Center (HSCIC) .

Mas a reviravolta não é apenas um caso de ex-bebedores percebendo que não era mais para eles.

A pesquisadora da universidade, Sarah Garvey, é um dentre um número crescente de jovens adultos que, apesar de terem experimentado álcool, nunca começou a beber, colocando sua saúde e felicidade à frente das pressões sociais.

“A principal razão pela qual não bebo é simplesmente porque na verdade não gosto”, diz ela. “E segundo, por causa de seus impactos na saúde. Não beber por motivos de saúde é mais preventivo, porque estou ciente dos efeitos adversos que isso causa em muitas pessoas.

“Uma vez eu li sobre os impactos do álcool no cérebro, e alguma coisa ficou presa – principalmente quando eu estava fazendo exames e queria ter a cabeça o mais clara possível. Desde então, nunca vi motivo para mudar de idéia.”

Olhando para o tempo que passou na universidade, Sarah diz que inveja as oportunidades que os jovens têm hoje, em comparação com quando estava estudando.

“Acho que, especialmente entre os jovens, quando você está em uma idade em que deseja se encaixar, por exemplo, no início da universidade, é definitivamente uma opção mais difícil de não beber”, explica ela.

“Na universidade, eles realizaram alguns eventos sem álcool na semana de Freshers, mas apenas algumas pessoas apareceram, o que foi bastante desmoralizante.

“Eu acho que está melhorando; está crescendo o número de estudantes agora realizam eventos sem álcool, mas esse não era o caso quando eu estava na universidade. Eu era a exceção e não a regra”.

Ela acrescenta: “Nos próximos anos, acho que o número de pessoas mais preocupadas com a bebida só aumentará, e a indústria precisa atender esses consumidores com escolhas dignas”.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible