Sacrifícios humanos contemporâneos #1

O sacrifício humano é geralmente visto como uma prática sádica e desumana de antigas culturas supersticiosas. A maioria de nós tem certeza de que a prática foi completamente extinta. Infelizmente, isso não é exatamente verdade. Os casos de sacrifícios humanos ocasionalmente aparecem ainda nos dias de hoje. Apesar de não ser em massa, muitas pessoas ainda estão sendo massacradas para apaziguar as entidades espirituais em troca de favores sobrenaturais. Se tivéssemos que classificar os cultos e religiões associadas com a maioria dos sacrifícios humanos modernos, satanismo certamente estaria no topo da lista.

Vamos dar uma olhada em alguns casos de sacrifícios humanos modernos.




Amelia Espinoza

amelia

Em 2011, Amelia Espinoza de 42 anos, na Califórnia, foi assassinada, fazendo parte da lista de assassinatos por satanismo.

O assassino foi seu próprio filho, de 18 anos, operário de fábrica, Moises Meraz Espinoza. Especulou-se que Moises ficou abalado com a morte de sua namorada em um acidente de carro, e que isso pode tê-lo levado a cometer este assassinato horrível. Outros relatam que ele tinha uma relação tensa com sua mãe. O promotor, no entanto, afirmou que o assassinato foi motivado por pura maldade e por crenças satânicas firmes de Moises.

Meraz estrangulou sua mãe e depois mutilou seu corpo sem vida, retirando os órgãos e cortando com uma serra.
Fatias de pele e carne foram encontrados mais tardes no freezer. A cabeça de Amelia, que foi encontrado em uma mochila, recebeu algum tipo de tratamento especial. Todos os seus dentes foram arrancados, seus olhos foram removidos, e duas cruzes de cabeça para baixo foram esculpidos em osso. Os investigadores descobriram uma bíblia satânica com um capítulo sobre o sacrifício humano. Além disso, a data da morte horrível de Amelia correspondeu a um dia de sacrifício humano ou animal no calendário satânico.

Meraz confessou assassinato e foi condenado a 25 anos de prisão.




Lalita

lalita

Em 2011, com apenas 7 anos de idade, Lalita, de Jailwara, foi sequestrada. Uma semana depois, o corpo mutilado de Lalita foi encontrado por seus pais desesperados.

Descobriu-se que a menina foi sacrificada para garantir melhor colheita. Sua garganta e seu fígado foram cortados e oferecidos a uma deusa. De acordo com a polícia, algum dinheiro foi encontrado perto do corpo, indicando que era um sacrifício. Os homens presos acabaram admitindo o assassinado de Lalita e podem ser condenados à morte.




Adam

adam

Foi encontrado em Tamisa, o corpo de um menino mutilado e com o sangue drenado. O corpo não tinha cabeça, pernas e braços. O caso não foi solucionado. O exame do corpo mostrou que o menino veio na verdade da Africa Ocidental e estava ali havia pouco tempo. Adam havia recebido dosagens de sedativos e drogas tipicas usadas em sacrifícios.

Em seguida, a garganta de Adam foi cortada. Acredita-se que, depois seus assassinos beberam o sangue de um vaso feito do crânio de Adam. O motivo? Bem, acreditavam que o sacrifício lhes traria boa sorte.




Elyse Pahler

pentagrama

Em 1996, o cadáver de Elyse Pahler, de apenas 15 anos, foi encontrado em um bosque perto de sua casa. Ela estava seminua e sob um pentagrama. Os policiais foram levados para lá por Royce Casey, de 16 anos, um dos assassinos de Elyse. Ele primeiro confessou o assassinato a um sacerdote e, em seguida, para a polícia.
Casey e seus dois cúmplices, Joseph Fiorella de 14 anos de idade, e Jacob Delashmutt de 16, haviam planejado matar Pahler por meses. O trio ainda pensava que isso lhes traria glória. Eles levaram Elyse para o bosque. A menina pensou que eles estavam indo para ter uma doce fumada de maconha, que foi a mentira usada pelos assassinos para atrair a menina em sua armadilha. Casey, Fiorella e Delashmutt prenderam Elyse com um cinto, cortaram e esfaquearam com uma faca de caça, e finalmente pisotearam seu pescoço com os pés. Isso, entretanto, não foi suficiente para o trio. Depois, os jovens assassinos estupraram o cadáver de Elyse.

Os assassinos foram julgados e receberam longas sentenças de prisão.




Melissa Ann Meyer

melissa

Em 1988, Melissa Ann Meyer, de 19 anos, foi encontrada morta em um acampamento. Os assassinos foram Jason Wayne Rose, de 21 anos e John Ray Jones, de 17 anos. Não se sabe qual a relação da menina com os assassinos. Foi encontrado livros de feitiços com instruções sobre como se comunicar com os mortos.

Durante a investigação, foi revelado que Rose e Jones se envolveram com o ocultismo. Foi tirada a vida de Melissa em um ritual de sacrifício humano. Em primeiro lugar, a menina recebeu um golpe na cabeça com um facão, e então ela foi sufocada até a morte. A polícia logo desvendou o caso, e eles foram condenados por homicídio e roubo.

Se você curtiu o post, compartilhe nas redes sociais aqui embaixo e/ou comente no site, pra ajudar no nosso trabalho!

Receba mais em seu e-mail
Topo