O que é o rating das empresas? Aprenda de forma simples

Hoje, identificar a qualidade de todos os investimentos disponíveis no mercado é uma tarefa muito complicada. Ainda mais se for um investidor novato ou sem muita experiência. Nessa hora, é importante avaliar o rating de empresas para uma compra mais assertiva.

Logo, saber todos os juros, as taxas, a liquidez, a data do rendimento, entre muitos outros pontos são importantes para não comprar um ativo ou um papel e se arrepender depois. Isso vale para manter o seu patrimônio e para ganhar mais dinheiro com o investimento.

Mas, além disso, é crucial saber quais delas podem oferecer realmente o que prometem. Inclusive, dá para usar o exemplo de uma ação na bolsa de valores. Antes de comprar o ativo, você deve saber se ela vai render bons retornos e não o contrário.

Sendo assim, quem trabalha com esse tipo de informações são empresas especializadas em avaliar os riscos de cada tipo de operação e da empresa também. Elas são chamadas de rating agency, em português, agência de rating.

Logo, neste artigo, nós vamos tirar as dúvidas sobre rating para se tornar um investidor ainda melhor, mais focado e com conhecimento sobre o mercado.

ANÚNCIO

Entenda o que é o rating

Ao se fazer um investimento financeiro, é importante saber se está diante de uma boa oportunidade. Só que no mercado de ações, essa resposta pode variar muito. Então, o rating serve como uma espécie de análise dos papéis.

Logo, as empresas são classificadas de acordo com o risco que representam para os seus investidores. Como resultado disso, saiba que o emissor de cada investimento recebe uma nota, fazendo assim uma classificação. E a isso damos o nome de rating.

Pode ser uma agência, banco, empresa, não importa quem estiver emitindo aquele investimento. Considere que o ativo terá uma avaliação para saber se possui capacidade para arcar com aquele compromisso.

Essa é uma forma excelente do investidor saber se está embarcando em uma furada ou se o emissor é realmente de confiança para receber os seus recursos.

Conheça as agências de rating

Essas notas não são dadas por qualquer pessoa ou instituição. Sendo que existem as agências de rating, que são especializadas nessa tarefa. Obviamente, entre tantos serviços, elas fazem justamente esse estudo sobre o risco que elas representam no mercado.

A primeira função delas é examinar o risco que aquele investimento tem e a capacidade se suprir os recursos que recebem. Além de empresas e bancos, saiba que até governos passam por esses crivos analíticos.

Depois de conduzir essa avaliação de risco, as agências são responsáveis por fazer uma classificação entre os países também. Isso para que todos saibam o quão seguro é cada um deles e qual a chance de prejuízo.

Mesmo entre as agências, existem 3 delas que acabam se destacando em todo planeja. Elas possuem grande credibilidade no mercado, por isso, é interessante de você saber: Standard & Poor’s (S&P), Fitch e Moody’s.

As classificações e letras

Essas agências são contratadas pelas nações e empresas para que façam seus levantamentos e avaliações. É importante saber que as agências utilizam designações de classificações distintas.

Entretanto, se baseiam na mesma forma de análise, onde consideram que quanto mais chances o emissor tiver de não honrar com um compromisso pior a nota final.

Normalmente, elas utilizam letras para fazerem suas classificações. As agências Standard & Poor’s e da Fitch consideram o resultado mais satisfatório é AAA (triple a), tendo o D com o pior cenário. Já a melhor nota, de acordo com a Moody’s, é Aaa e a colocação mais baixa é o C.

Como é feita a classificação?

Essas letras que definem o risco de investimento passam por rigorosas análises de fórmulas quantitativas e qualitativas.

Por exemplo, as análises quantitativas avaliam o balanço patrimonial, ativo, passivo, fluxo de caixa e projeções estatísticas. Já os aspectos qualitativos levados em conta são o ambiente externo, setor da empresa, legislação, questões jurídicas e percepções.

Os emissores avaliados por essas agências são divididos em 2 grupos amplos: pelo grau especulativo e o de investimento.

Como cada agência faz sua classificação?

A Fitch Ratings e Standard & Poor’r utilizam a mesma tabela.

Para os classificados como grau especulativo, a pior classificação recebe a letra D, isso quer dizer que existe um grande risco de calote. Em ordem crescente, a próxima denominação é a C, depois vêm as notas CC, CCC, B-, B, B+, BB-, BB até encerrar em BB+.

Já aqueles emissores com melhores notas, estão no grau de investimento, que iniciam suas notas com BBB-, BBB, BBB+ (o que é já é considerado uma qualidade mediana de investimento), A-, A, A+, AA-, AA, AA+ e AAA.

A Moody’s começa sua classificação no grau especulativo mais baixo em C, seguido por Ca, Caa3, Caa2, Caa1, B3, B2, B1, Ba3, Ba2, Ba1.

Aqueles emissores que já estão em grau de investimento, mas ainda são medianos, recebem as notas Baa3, Baa2, Baa1. Os melhores são A3, A2, A1, Aa3, Aa2, Aa1, até Aaa, que é o máximo de segurança.

Avalie o rating sempre que for investir

Agora que você conhece sobre o rating financeiro, antes de fazer qualquer investimento, dê uma olhada nessa tabela e veja onde o emissor está ranqueado. Existem muitos sites e aplicativos onde você poderá acompanhar as notas e o significado de todas.

rating das empresas

Tome cuidado caso não encontre nenhuma classificação em um investimento, pesquise o motivo e confira qual a verdade capacidade daquela empresa de poder quitar o combinado.

ANÚNCIO