Por que pensamos logicamente?

Por algum motivo, a evolução nos levou do instinto para o pensamento. Durante esse processo, nós, humanos, começamos a racionalizar coisas, distinguir padrões e hoje somos capazes de usar a razão para debater os mais variados pontos. Mas porque será que isso aconteceu desse jeito?




O caminho da verdade

razão x emoção

Durante milhares de anos, os filósofos idealizaram o pensamento lógico como sendo o mecanismo que ajudava o homem a descobrir a verdade acima de tudo. Isso soa como algo grandioso e belo, porém a verdade sobre nosso jeito e pensar é um pouco mais egoísta.

Quando estamos no meio de uma discussão é muito comum distorcemos um pouco os fatos ou ocultarmos lados ruins para ganharmos. Não é incomum vermos pessoas até mesmo negando provas para tentar manter um argumento em pé.

Um exemplo clássico da negação de uma prova é a briga que existe sobre a Teoria da Evolução. Além do DNA, outro grande pilar que sustenta essa ideia são os fósseis. Esses esqueletos são provas irrefutáveis de que animais totalmente diferentes dos atuais povoaram a Terra no passado.

Esses fosseis também permitem fazer uma linha do tempo, que vem desde milhões de anos até os dias atuais. Mesmo que alguém não acredite na evolução, isso prova que os animais do passado passaram por diversas mudanças fisiológicas para se transformarem nos animais de hoje, da mesma maneira que ocorreu com o homem.

Se diante de provas tão gritantes como essas, milhões de pessoas se negam a acreditar na Teoria da Evolução, a ideia de que nosso cérebro foi feito para descobrir a verdade cai por terra e aí entra uma nova ideia.




Teoria argumentativa da razão

argumento

A teoria argumentativa da razão é a ideia de que nosso cérebro não evoluiu para buscar a verdade, mas sim para ganhar discussões. Essas pequenas falhas de pensamento lógico que ocorrem quando estamos no meio de uma discussão são artimanhas do cérebro para se defender e continuar na “luta”. Por isso é tão comum vermos pessoas negando provas, sem ter nada que possa sustentar essa ideia.

O texto publicado no “The Journal of Behavioral and Brain Sciences” revelou que a evolução é a mãe da razão e também da falta dela. Isso ocorre porque ganhar uma discussão é uma arma poderosa para a sobrevivência.

Imagine seres humanos há milhares de anos, ainda vivendo nas cavernas. Por algum motivo, o grupo se racha em dois, cada lado com um líder. Aquele chefe que for capaz de se sair melhor na discussão, ganhará mais aliados e terá mais chances de sobreviver. Por isso, o cérebro tende a usar toda a razão na hora de defender seu ponto e ignorá-la quando o outro está falando.

“O raciocínio não tem a função de nos ajudar a obter melhores crenças e tomar melhores decisões. Ele é um fenômeno puramente social, que evoluiu para nos ajudar a convencer os outros e para ter cuidado quando os outros tentam nos convencer”, explicou Hugo Mercier, um dos autores do estudo.

Então, na hora em que estiver discutindo com alguém, lembre-se que seu cérebro vai lhe fazer menos racional na hora que achar adequado e o mesmo vai acontecer com seu oponente.

Receba mais em seu e-mail
Topo