O que nós somos afinal?

Nada. É isso que nós somos. E se dúvida disso basta ver essa imagem:

palebluedot




Do tudo ao nada

Quando a humanidade vivia sua infância, ainda morando em cavernas e vivendo como animais, nós éramos o centro do Universo. Os seres daquela época provavelmente pensavam que eram os únicos de todo o mundo e que eram especiais, únicos.

Depois disso, a humanidade descobriu que haviam enormes continentes e que existiam outro povos, assim aqueles pequeno grupo que se achava único, na verdade era apenas mais um no meio de tantos outros.

earthMais alguns séculos passaram até que foram descobertos outros continentes e, nesses lugares distantes do outro lado do mar, também haviam humanos, ou seja, “ser” um ser humano deixou de ser a coisa mais especial do mundo.

Mas aí chegou a era moderna, trazendo para a humanidade o conhecimento do espaço e do Universo. E, aparentemente, nós estávamos sozinhos nesse lugar do tamanho do “infinito”. A primeira vista nós parecíamos os reis do Universo, a coisa mais importante em todo ele, parecia mesmo que ele foi feito só para nós.

Então começamos a explorar o espaço em uma famosa sonda, chamada Voyager 1, foi enviada para explorar os céus em lugar bem distante de nosso grande planeta azul. E quando ela estava a mais de 6 BILHÕES de quilômetros da Terra, ela tirou uma foto de nosso planeta:

palebluedot

E é isso que nós somos, apenas um pálido ponto azul no meio de uma vastidão sem fim. Para o tamanho do universo, nós somos quase nada, apenas um ponto, no meio de trilhões de pontos, que estão dentro de bilhões de galáxias. Por isso na hora em que admiramos a imensidão e grandeza do Universo, só podemos pensar que somos nada.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/

Receba mais em seu e-mail
Topo