Por que não lembramos de quando éramos bebês?

Depois que nascemos, nos primeiros dois ou três anos, nossa vida costuma ser bem agitada, afinal nosso cérebro “vazio” está aprendendo muitas coisas, mas por que será que não nos lembramos de nada de nossos primeiros dias por aqui?




Dividindo memórias

 cerebro-divididoo

Os psicólogos clamam que nós possuímos dois tipos de memória, a semântica e a episódica.

A memória semântica é responsável por guardar lembranças gerais, como quem é o pai e a mãe, a maneira correta de pedirmos algo, como se engatinha e coisas assim. Já a memória episódica é aquela que nos permite lembrar de fatos específicos, como uma festa, o que comemos no almoço e como ocorreu qualquer evento em maiores detalhes.

A parte do cérebro responsável pelas memórias é o córtex. Ele seria como um jardim gigante, onde plantamos coisas espalhadas por todos os cantos. Esse jardim é dividido em partes, cada uma responsável por uma determinada especialidade. Temos o córtex auditivo, o visual e assim por diante.




Unindo memórias

12353881-imagine-and-invent-as-human-imagination-and-creative-man-as-the-intelligent-brain-with-a-front-facin

Por termos vários tipos de memória, cada um responsável por sua especialidade, é necessário que haja algo capaz de unir todas elas em uma única coisa. Para isso, o cérebro humano possui o hipocampo, que seria, mais ou menos, como um buquê com as flores feitas em nosso jardim cerebral.

“O hipocampo, dobrado muito ordenadamente no meio de seu cérebro, é responsável por puxar todos os ramos e amarrá-los em um buquê.”, explica a psicóloga Patricia Bauer da Emory University em Atlanta.

Como o hipocampo das crianças novas ainda não consegue juntar as memórias de maneira correta, nós não temos lembranças de eventos isolados em nossos primeiros anos de vida. Isso ocorre porque é mais importante para o desenvolvimento do conhecimento, nessa idade, aprendermos coisas gerais do que termos memórias fixas de acontecimentos. Ou seja, nossa falta de memória episódica nos primeiros anos é uma artimanha do cérebro para que ele não perca tempo com lembranças desnecessárias e só foque no que realmente importa no início da vida.

“Eu acho que o principal objetivo dos dois primeiros anos é a aquisição de conhecimento semântico e, a partir desse ponto de vista, a memória episódica pode realmente ser uma distração”, explica a psicóloga Nora Newcombe, da University of Temple, na Filadélfia.

É por isso que você não lembra como é mamar nas tetas da mãe…

Receba mais em seu e-mail
Carregar mais
Topo