Saiba qual é o seu perfil de investidor – do conservador ao agressivo

Existem perguntas sobre o mercado financeiro que são muito genéricas. Por exemplo: quanto investir, onde investir, o melhor investimento, a aplicação mais fácil. Tudo isso é subjetivo. Por que a questão principal é que você precisa entender qual é o seu perfil de investidor.

Até mesmo porque o mercado financeiro ainda é visto como um sonho para muita gente. Mesmo que ele esteja cada vez mais acessível. Por exemplo, para sermos francos, hoje em dia é bem mais simples investir no Tesouro do que construir uma casa para alugar.

Sendo assim, se você falar com alguém mais velho do que você pode ser que essa pessoa discorde. Mas, isso se dá pelo fato de que os incentivos dos investimentos populares são bem recentes. Tanto é que nunca houve tantos investidores no Brasil como se tem agora.

Bom, deixando para lá essa questão entre alugar casa ou investir dinheiro, vamos considerar que antes de se tornar um investidor, a pessoa precisa entender qual é o seu perfil para que possa fazer escolhas mais assertivas. E é sobre isso que vamos falar nesse conteúdo.

Os 4 perfis de investidores atuais

A cada novo tempo que surge novos perfis aparecem. Antes, há alguns anos, a gente dizia que tinha os conservadores e os arrojados. Depois, criamos um novo termo, que fica bem na média deles, chamado de moderado.

Mas, atualmente, temos 4 perfis, sendo que foi incluído um que fica entre o moderado e o mais agressivo. Logo, vamos apresentar a vocês os que existem na atualidade. Além do mais, com a variação de ativos existem no mercado, esses perfis se tornam ainda mais relevantes.

No entanto, entenda que não é porque um investidor tem perfil de conservador que ele não pode aplicar em fundos. Ou que um investidor arrojado não poderá ter ativos no Tesouro, que é um ativo totalmente conservador. Entendeu? A ideia não é essa.

A ideia é que a gente consiga entender (e você também entenda) que com base no perfil vai ficar mais fácil encontrar um bom ativo no mercado para esse investidor. Isso quer dizer investir com mais segurança e mais assertividade também.

1 – O conservador

O investidor conservador é aquele que busca, antes de qualquer coisa, a segurança. Então, ele não está apto a perder dinheiro. Ele pode até ganhar pouco, mas não quer perder, de forma alguma. Logo, a palavra de ordem é “segurança”.

Então, ele acaba sempre assumindo os ativos com os menores riscos possíveis. E aqui já vamos dar uma dica de ouro para você: a poupança é segura, mas há tantos outros ativos tão seguros quanto ela que são melhores, mais rentáveis.

Portanto, não caia nessa ideia de dizer que “eu tenho dinheiro na poupança, então, sou investidor conservador”. Se você tem dinheiro na poupança, infelizmente, você ainda não é um investidor porque a poupança é uma conta e não um ativo.

Geralmente, tirando a poupança, o investidor conservador aplica em títulos da renda fixa. Eles podem ser do Governo, como é o caso do Tesouro Direto, assim como de bancos, como é o caso dos CDBs.

2 – O moderado

O investidor moderado também visa a segurança. No entanto, há uma pequena diferença. Apesar de querer segurança, ele também quer ver opções mais atrativas, que rendem mais. Então, ele ainda se apoia na renda fixa, porém, visando melhores retornos.

É como se ele assumisse um risco, mas um risco bem pequeno. Por exemplo, a gente pode pensar no moderado como aquele que tem ativos na renda fixa em sua maior parte do patrimônio. Mas, também tem alguma pequena parcela em outros ativos, como da renda variável ou de câmbio, em ouro, etc.

Note uma coisa importante aqui. Muitas vezes, o que muda é a porcentagem do patrimônio investido e não apenas a escolha dos ativos. Um conservador tem 100% de ativos na renda fixa. Já um moderado pode ter 90% na renda fixa e 10% na renda variável, por exemplo.

3 – O moderado-agressivo

Nessa próxima opção de perfil de investidor, o que temos é um investidor que corre um pouco a mais de risco do que o moderado. Logo, muda a porcentagem da carteira de ativos. Além disso, essa pessoa também pensa em ter mais ativos diversificados na composição.

Vamos supor que o moderado tenha 90% em renda fixa e 10% em renda variável, né? Então, esse moderado-agressivo vai ter 70% em renda fixa, 20% em renda variável e 10% em fundos diversificados, por exemplo. Entendeu?

Anbima ensina como investir dinheiro com base no seu perfil de investidor

Tente observar que o perfil ele avalia especialmente o risco que o investidor está sujeito a correr nos investimentos. Enquanto a renda fixa quase não tem perda, a variável pode representar grandes oscilações – para mais ou para menos.

4 – O agressivo

E para fechar, nós temos os investidores mais agressivos. De modo geral, eles nunca aplicam tudo o que tem na renda variável. Mas, uma grande porcentagem do patrimônio. Assim como o moderado-agressivo, ele também visa uma carteira recheada de vários ativos.

Mas, calma. Isso não quer dizer que ele vai sair comprando um ativo de cada banco ou de cada empresa. Não se trata disso. No entanto, ele pode pensar em ter um título do Tesouro para o futuro, ações para rentabilizar o patrimônio, cambio e ouro para proteção e etc.

De qualquer modo, ele sabe que uma parte do patrimônio, que quase nunca passa dos 30% poderá correr riscos maiores, devido às oscilações do mercado.