As previdências privadas das corretoras são melhores do que as dos bancos? Descubra

Se ao falar em dinheiro você logo pensa no banco, saiba que tudo bem. Esse não deveria ser normal, mas acontece na maioria dos casos. Para você entender que nem tudo que vem do banco é o melhor para você, hoje vamos falar das previdências privadas das corretoras.

Afinal, a educação financeira do brasileiro é algo pouco desenvolvida, quando a gente compara esse índice com outros países. Porém, saiba que também temos alguns motivos para comemorar: pesquisas mostram que estamos ficando mais atentos ao assunto.

Na prática, as corretoras são bem melhores para quem está em busca de fazer algum investimento que, inclusive, pode ser na previdência privada. Por que? A gente vai explicar os motivos disso no decorrer da matéria.

Mas, para antecipar o assunto, entenda que as corretoras têm mais diversidade de investimento, de rentabilidade, de taxas e até mesmo de tributos. Por isso, você pode escolher um entre vários produtos. A gama é muito maior de opções disponíveis.

Além do mais, as corretoras possuem atendimento mais focado, pois, dificilmente um banco terá uma equipe especializada apenas para ajudar um modesto investidor. Se você ainda acredita que banco é o melhor, vamos mostrar porque você deveria repensar sobre isso.

A maioria das pessoas prefere bancos

De acordo com informações da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), que foram cedidas no ano passado, somente 6% dos brasileiros investem em uma previdência privada atualmente.

Assim, os especialistas especulam que um dos fatores que pode incentivar essa pouca adesão é o fato do país vir de uma forte recessão em 2014. Assim, o resultado é a dificuldade para poupar dinheiro.

Desse total que tem previdência, 90% prefere fazer uma previdência em 1 dos 5 maiores bancos: Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil ou Caixa Econômica. Logo, a busca por ativos seguros é o principal dos motivos dessa busca apenas por essas instituições.

Assim, a gente conclui que esse medo vem da falta de conhecimento. Afinal, as previdências privadas das corretoras possuem as mesmas seguranças. Abaixo você vai ver porque há bons indicativos para você fazer essa troca: dos bancos para as corretoras.

As taxas cobradas nas previdências dos bancos

Se tem uma coisa que os bancos sabem fazer muito bem é criar taxas e são sobre elas que vamos falar nesse tópico. Para que você entenda as desvantagens de se investir nessas instituições financeiras vamos explicar como são feitas essas cobranças.

A taxa de administração

Essa primeira taxa que vamos mostrar não são exclusividade dos bancos, as corretoras também cobram. Então, aqui a gente acaba ficando no zero a zero. Inclusive, essa cobrança acontece para que os profissionais que cuidam do dinheiro recebam pelo serviço prestado.

Na teoria, não tem problema pagar pela taxa de administração. Na verdade, ela é uma tarifa justa. Porém, na pratica, nem todos respeitam os limites disso. Assim, é possível encontrar algumas instituições que cobram até 6% ao ano – esse valor não poderia passar dos 2%.

A taxa de performance

Essa taxa não é cobrada em todos os fundos. Agora, se por acaso, for o caso do seu, fique de olho para saber como ele funciona e quanto será cobrado por isso.

A taxa de performance é utilizada por quem quer um benchmark e são um forte estímulo para que os gestores busquem um lucro maior com a CDI ou IBOVESPA. Assim, quando conseguem bater essa marca ficam com 20% do excedente.

Você não perde, mas deixa de ganhar uma grana com isso. Agora, também não é das piores taxas porque é um incentivo para o que gestor faça a sua renda previdenciária render mais. Então, ainda não é a grande vilã das previdências.

A taxa de carregamento

As duas primeiras taxas não podem parecer tão absurdas assim, como você deve ter notado. No entanto, a partir de gora, você vai entender melhor o porquê do seu dinheiro render bem menos no banco com a taxa de carregamento.

Essa cobrança é efetuada sempre que você fizer um aporte. É tipo uma caixa de entrada. Vamos dar um exemplo claro para que você entenda o quanto isso é ruim.

Você fizer um aporte de R$ 200 e a taxa de carregamento do seu banco for de 5%, isso quer dizer que estará perdendo R$ 10 apenas por fazer o investimento. Agora, imagina quanto de dinheiro dará ao banco todo mês por conta disso?

Essa grana nem chaga a entrar na sua previdência para gerar algum juro, ela vai direto para a mão dos bancários mesmo, viu. E não tem outra dica a ser dada além de “fique longe dessa taxa”. De modo geral, as corretoras não possuem essa cobrança.

A taxa de saída

Você já descobriu que os bancos irão cobrar quando fizer aporte, cuidar do seu dinheiro e quando ele lucrar mais. Mas, não é só isso, tem uma taxa de saída também, que funciona no momento que retirar o seu capital investido.

Pensa que depois de muitos anos, finalmente você conseguiu juntar uma boa quantia. Agora, é hora de resgatar o seu patrimônio acumulado. Então, imagine ter que pagar para poder o que é seu, mesmo que seja apenas 1%. É um dinheiro que você perde, amigo.

Convenhamos que perder essa quantia assim não é nada agradável e aqui a gente deixa bem claro que as previdências privadas das corretoras podem ser melhores porque também não possuem essa taxa na maioria das vezes.

E os rendimentos?

Depois de tantas taxas, é normal imaginar que o motivo para tanto são grandes rendimentos, né? Não se iluda com isso. Então, onde devo fazer minha previdência? Nossa sugestão é que procure por algum assessor de investimento ou uma corretora.

Esse profissional ou essa empresa conhece muito o mercado e podem indicar qual a melhor opção de instituição para atingir o seu objetivo. Além disso, há uma questão que já falamos acima e que faz todo sentido.

Um banco vende as previdências que ele possui e nada mais. Uma corretora pode vender qualquer previdência que existe no país, desde aquelas dos bancos até mesmo a de outras instituições. E isso permite um leque maior de opções.

A previdência privada para a família toda

Agora sim para terminar esse conteúdo, saiba que independente de estarmos falando sobre as previdências privadas dos bancos ou das corretoras, você pode estar pensando em fazer um plano que beneficie a família toda, correto?

Esse assunto tem sido tão buscado ultimamente, ainda mais após a aprovação da nova aposentadoria da previdência social, que nós acabamos fazendo um conteúdo para explicar como funcionam esses planos mais completos, para todos os integrantes da família.

Se você tiver o interesse, poderá ler essa matéria para complementar o seu conhecimento: Saiba como fazer uma previdência privada para a família inteira. Na matéria, a gente cita uma empresa que oferece esse serviço. Saiba mais.