Entenda porque damos risada: o que acontece com o corpo?

Rir é uma das coisas mais comuns feitas pelos seres humanos. As pessoas têm risadas discretas, escandalosas e engraçadas, seja qual for, todo mundo já riu pelo menos uma vez na vida. Já presenciou um momento descontraído com alguém que riu tanto ao ponto de chorar ou de ficar com dor de barriga? Pois é, esses são alguns dos efeitos das risadas. 

Algumas pessoas têm mais propensão a rir do que outras, mas de um modo geral os reflexos no organismo são os mesmos. Falando nisso, já parou para pensar como o corpo reage quando você ri? Além da mistura de emoções, a parte interna do organismo também reage nesses momentos. 

Entenda porque damos risada: o que acontece com o corpo?
Fonte: (Reprodução/Internet)

Curiosidades sobre os efeitos do sorriso 

Cientistas de todo mundo já descobriram diversas consequência do sorriso no dia a dia do ser humano. Alguns dos estudos feitos pelo Journal of Career Assessment apontaram que as pessoas felizes e sorridentes costumam atrair mais dinheiro. Em razão do estado de espírito, esses profissionais tendem a ser mais eficientes e produtivos na carreira. 

Entenda porque damos risada: o que acontece com o corpo?
Fonte: (Reprodução/Internet)

Pessoas que riem com mais frequência são melhores vendedores, por exemplo, justamente por serem mais simpáticas e persuasivas. Além disso, candidatos sorridentes tendem a ser mais contratados do que entrevistados com semblante mais fechado. Segundo pesquisadores da Rice University, pessoas sorridentes transmitem sensação de confiança. 

Já pesquisas da Universidade de Wayne relataram que o sorriso pode estar ligado com o tempo de vida. Em 2012 foi feito um levantamento com jogadores de baseball dos anos 50, o qual indicou que os atletas com sorriso largo viveram 8 anos a mais que os outros jogadores. Em média, esses atletas viveram 80 anos. 

Benefícios para o organismo 

Além de influenciar na longevidade, sorrir também faz bem para o sistema nervoso. De acordo com pesquisadores britânicos, dar gargalhadas causam resultados no cérebro parecidos com o prazer que corresponde a ingestão de 2 mil barras de chocolate. O mesmo levantamento revelou que sorrir equivale a receber 16 mil libras em espécie. 

Da mesma forma, sorrir é benéfico para o sistema cardiovascular. Com base em um estudo feito na Universidade de Loma Lina, dar risadas diminui o risco de doenças cardiovasculares além de estimular a produção do colesterol bom. Também foi comprovado pela Universidade de Baltimore que rir ajuda no fluxo sanguíneo e reduz o risco de AVC.

Sorrir também faz muito bem para a pele devido à movimentação da musculatura facial. Assim, ajuda na elasticidade, hidrata e previne ressecamento e rugas no rosto. Se quiser emagrecer, a Association for Psychological Science declarou que dar risada reduz até 40 calorias do corpo. Junto com uma alimentação saudável, sorrir pode ajudar a se manter em forma.  

Como o corpo se comporta

Sorrisos e gargalhadas podem acontecer dentro de poucos segundos, por isso talvez seja impossível notar todos os reflexos do corpo. Quando sorrimos, a tensão dos músculos diminui significativamente. Simultaneamente, o cérebro produz um neurotransmissor que age como analgésico natural, conhecido como betaendorfinas. O analgésico ajuda a combater dores e a relaxar.

Entenda porque damos risada: o que acontece com o corpo?
Fonte: (Reprodução/Internet)

Ainda, o sorriso produz efeitos anti-inflamatórios agindo, principalmente, nos ossos e nas juntas. Por esta razão, é capaz de aliviar dores artríticas e reduzir inflamações. Como um efeito cascata, dar risadas ajuda na redução do nível do cortisol, hormônio do estresse que é desenvolvido por glândulas suprarrenais. 

Também acontecem efeitos no sistema gastrointestinal, quando rimos a digestão é beneficiada processando melhor os alimentos. Isso acontece porque ao dar gargalhadas, o corpo trabalha o abdômen. Note que ao rir várias vezes, a região abdominal faz um movimento e ele age como uma massagem no sistema digestivo.

Impactos na oxigenação 

Além dos efeitos citados, sorrir também influencia na oxigenação do ser humano. Para ter uma breve noção, quando alguém está em repouso o coração bate 70 vezes a cada minuto. Já quando ri, o ritmo cardíaco pode chegar a 120 batidas por minuto. Consequentemente, a aceleração dos batimentos estimula o aumento do fluxo sanguíneo. 

A absorção do oxigênio também se torna maior quando uma pessoa ri. A lógica é que quando rimos, é necessário inalar um maior nível de oxigênio fazendo com que a expiração se torne mais intensa. Com essa dinâmica, o pulmão elimina o excesso de vapores residuais e de carbono devido à ventilação pulmonar aumentada. 

Algumas pessoas costumam rir tanto que acabam chorando. Até nesse efeito, o corpo humano é beneficiado tendo em vista que o fluido lacrimal passa a concentrar maior nível de imunoglobulinas. As imuglobinas são importantes no combate do organismo contra bactérias e infecções virais. 

Dicas para ser bem-humorado 

Se quiser usufruis mais dos benefícios de sorrir, separamos algumas dicas incríveis para melhorar o humor. Afinal, isso vai influenciar diretamente na sua predisposição a dar gargalhadas e ser mais sorridente. Sem dúvidas, não levar a vida tão a sério é uma orientação interessante para quem quer estar mais relaxado. 

Entenda porque damos risada: o que acontece com o corpo?
Fonte: (Reprodução/Internet)

Não levar a vida tão a sério não quer dizer que alguém deve ser irresponsável. Tente fugir um pouco do dia a dia repetitivo e monótono. Se cobrar menos e aprender com as derrotas, ao invés de se lastimar tanto, é importante estar menos tenso e consequentemente rir mais. Pode parecer óbvio, mas treine a si mesmo para sorrir mais. 

Como citado anteriormente, pessoas sorridentes atraem mais oportunidades. Portanto, treine para deixar a postura sisuda e dar lugar à aparência de alguém mais leve e entusiasta. Outra dica importante é não remoer problemas passados. Normalmente, pessoas que guardam mágoas e problemas que já passaram são indivíduos amargurados e que riem pouco.

Tenha cuidado com a rigidez 

Provavelmente, você já conheceu alguém sistemático e perfeccionista. O grande problema em ter esse tipo de personalidade é que nada nunca vai estar bom para essa pessoa. Geralmente, são indivíduos inflexíveis e que não toleram muitas piadas ou brincadeiras. É comum que tenha sempre a sensação de estar sendo desrespeitado.

Isso porque ninguém vai conseguir fazer alguma tarefa tão bem feita ou pelo simples fato de não gostar de brincadeiras. Portanto, é válido treinar a se desapegar das atividades e enxergar momentos de descontração como algo positivo. Quando uma pessoa cobra perfeição em tarefas ou é sistemático com algo, o seu bom-humor pode ir embora facilmente.

Por outro lado, é importante ter organização e planejamento. Quando um plano é seguido, a probabilidade de ter êxito nas tarefas é maior e a de sorrir também. Então, tudo exige equilíbrio. Não se pode cobrar demais, porém ao mesmo tempo não é recomendado viver a vida como se não houvesse o amanhã. 

Como ter uma vida mais leve

Adquirir o bom humor dia após dia já é boa parte do caminho andado para ser mais feliz. Além disso, é válido saber formas de levar a vida com mais leveza. Afinal, o estado de espírito está diretamente ligado com a forma de viver. Um fato interessante é que a felicidade está muito mais ligada com o emocional do que o físico. Portanto, invista na mente. O que isso quer dizer?

Entenda porque damos risada: o que acontece com o corpo?
Fonte: (Reprodução/Internet)

Para quebrar a negatividade e melhorar a perspectiva sobre a vida, é necessário praticar a gratidão. Normalmente, pessoas gratas são mais sorridentes e leves. Assim, ao desenvolver gratidão temos a tendência a passar a valorizar o dia a dia, ainda que estejam passando por dificuldades. Algumas pessoas têm a incrível capacidade de rirem ainda em meio às diversidades.

Outro ponto é expressar os sentimentos. Ao retrair as emoções, as pessoas costumam apresentar semblante de tristeza. Por este motivo é importante buscar ajuda profissional de um psicólogo. Descobrir atividades que gosta de fazer para externalizar os sentimentos também é uma ótima alternativa. Claro que uma coisa não anula a outra.

Seja seletivo nos relacionamentos 

Alguns estudos apontam que um indivíduo é a média das 5 pessoas que ele anda. Se alguém estiver inserido em um grupo de pessoas que são alegres, gratas, sorridentes e saudáveis, provavelmente o indivíduo irá apresentar esse comportamento. O oposto também é verdadeiro. Logo, é necessário cultivar bons relacionamentos pois afetam diretamente no humor. 

Caso deseje melhorar o ciclo de relacionamentos, busque por pessoas que são inspiração naquilo que deseja ser. Se almeja levar a vida com bom humor, mas as amizades ou namoro não colaboram para isso, é hora de fazer uma avaliação. O ideal é afastar relações tóxicas e se cercar de pessoas mentalmente e, se possível, fisicamente saudáveis. 

Ainda, seja uma pessoa que busca por desafios. Ao perceber que entrou na zona de conforto e que isso está trazendo desânimo, é hora de buscar novas experiências. Assim, estará disposto e entusiasmado com o que está por vir. Leia livros, faça cursos, aprenda coisas diferentes e assim estará em constante evolução e satisfação. 

Rir até chorar – Por que isso acontece?

O sinal de que uma risada ou gargalhada foi bem dada é o choro, não é verdade? Ou pelo menos aquela dorzinha no abdômen de tanto rir. A ciência explica porque é comum sair lágrimas quando alguém ri muito. Quando rimos em excesso, acontece a pressão das vias lacrimais, de forma natural vira um verdadeiro chororô. 

Segundo estudos da Universidade Yale, o choro é um reflexo do corpo ao tentar equilibrar as emoções. O mesmo também pode acontecer com o bocejo. Existe um conjunto de nervos que fazem a ligação entre as glândulas salivares e a mandíbula. Logo, quando abrimos muito a boca ou pressionamos os olhos, acontece o estímulo das glândulas lacrimais.