Poderosas estratégias de manipulação das massas

Os políticos, a mídia e as grandes empresas, todas elas precisam lidar com uma grande quantidade de pessoas, algo conhecido genericamente como massa. Por isso, essas grandes instituições precisam criar estratégias para manipular as massas e esconder os seus segredos podres, que eles desejam que sejam esquecidos.

Essas estratégias incluem falácias lógicas, técnicas de propaganda e supressão de informação. Usando os canais e meios certos, uma grande empresa de mídia é capaz de criar uma ideia inversa do que realmente está acontecendo, ou mesmo manipular toda opinião pública, usando algumas figuras influentes em horários certos.

Essas estratégias são as mais variadas e você provavelmente vai reconhecer algumas delas em seu dia a dia:




Estratégia da distração

controle da mida

A primeira e mais utilizada estratégia de manipulação das massas é a distração. Se algo não é noticiado pelos grandes meios ou não aparece na TV, simplesmente não existe. Outra maneira bastante utilizada dessa estratégia é quando algo ruim acontece, mas isso prejudica alguém ou uma empresa importante. Basta um ou dois dias e essa notícia some, dando espaço a outra, muitas vezes menos importante.

No Brasil essa manobra foi usada recentemente no contexto político. Logo após o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ser indiciado por ter contas na Suíça, todas as notícias envolviam seu nome e suas contas, mas na manobra de distração, ele abriu o Impeachment da Presidente e criou uma notícia mais bombástica e seus problemas foram esquecidos, pois agora havia uma nova outra notícia. Essa é a manobra da distração na sua forma mais clássica.




Promoção da mediocridade

businessman-sitting-in-corner-with-dunce-hat

Quanto mais educado, mais difícil de manipular e enganar é um povo, por isso, nunca é de total desejo dos governos e das grandes empresas que todas as pessoas sejam educadas demais.

Quanto mais educado é um povo, melhor o governo tem que se sair na administração dos bens públicos, caso contrário ele cai ou jamais é reeleito. E quanto maior o grau de instrução das pessoas, mais as grandes empresas precisam investir em produtos de qualidade por um preço justo. Como isso não é de interesse dos “grandes”, não é incomum vermos em todos os lugares a promoção da mediocridade.

Não é anormal vermos programas de TV e propagandas com pessoas pobres e com pouca instrução sendo as pessoas boas, e os ricos, sendo os malvados e opressores. Dando sempre a ideia de quanto mais ricos e estudados, mais malvados e estúpidos são eles. Além disso, a cultura dessa elite novelista sempre é tratada como sendo estúpidas, gastando dinheiro com coisas vazias e bobas e tirando proveito dos empregados.

Isso cria a impressão de que estudar e ser bem-sucedido na vida transforma as pessoas em gente ruim. Enquanto isso, os mais pobres sempre são tratados como queridos, trabalhadores e esforçados, além disso, a cultura das classes mais baixas é sempre tratada como melhor e é mais divulgada. Não que tudo isso não seja realidade em muitos casos, mas nem sempre é assim.

Estudar, enriquecer e ser bem-sucedido não transforma uma pessoa boa em ruim, a cultura de quem é mais bem de vida, nem sempre é vazia, elitista e internacionalizada. Ter pessoas bem-sucedidas em um país é bom para todos que vivem ali, pois quanto mais gente ganha bem, melhor se torna a qualidade de vida de todos, pois o idealé que muitos ganhem bem e não que poucos ganhem muito e muitos fiquem com pouco.

Um país ideal é onde todos são a elite, bem-sucedido e estudados, mas é exatamente o contrário que vemos na telas.

Receba mais em seu e-mail
Carregar mais
Topo