Plâncton bioluminescente transforma ondas azuis perto da praia no México

ANÚNCIO

É a primeira vez que esse fenômeno é observado nesta praia em 60 anos

Um punhado de pessoas caminhando ao longo de uma praia no México recebeu um show raro e impressionante quando as águas do mar ficaram azuis fluorescentes pela primeira vez em 60 anos.

ANÚNCIO

Plâncton bioluminescente transforma ondas azuis perto da praia no México

Esse brilho estranho é o trabalho de plâncton bioluminescente encontrado perto da costa enquanto as ondas batiam contra a praia.

É um subproduto de uma reação bioquímica que foi desencadeada pelos microrganismos nas margens da praia de Puerto Marqués, em Acapulco.

ANÚNCIO

Enquanto aqueles que viram on-line foram rápidos em dizer que essa visão estranha foi causada pela falta de atividade humana devido ao bloqueio do coronavírus, permitindo que a natureza floresça mais uma vez, biólogos marinhos disseram que esse não é o caso.

Um desses biólogos chamado Enrique Ayala Duval explica a verdadeira ciência por trás disso.

Ele disse: “A bio-luminescência é a luz produzida como resultado de uma reação bioquímica na qual na maioria das vezes luciferina [proteína], oxigênio molecular e ATP [adenosina trifosfato] participam, que reagem por meio da enzima luciferase da seguinte maneira: o oxigênio oxida a luciferina, a luciferase acelera a reação e o ATP fornece a energia para a reação, produzindo água e luz perceptíveis à noite “.

Plâncton bioluminescente transforma ondas azuis perto da praia no México

Correto, isso esclarece o fenômeno, então.

Ele continuou: “Existe uma hipótese de que a bio-luminescência que existe hoje é o resultado da evolução.

“Inicialmente, quando a atmosfera da Terra tinha uma concentração quase zero de oxigênio e o oxigênio aumentava gradualmente devido à presença crescente de organismos fotossintéticos, os organismos eram liberados do oxigênio, que era então tóxico para eles com a reação de bio-luminescência produzindo água”.

Claro, nem todos os humanos se foram. Uma pessoa não resistia a pular direto para as ondas e entrar no plâncton.

Deixando de lado o fato de que banhar-se no oceano está atualmente proibido no México, é uma jogada bem idiota, e eles foram corretamente chamados nas redes sociais por suas ações.

Uma pessoa disse: “O espetáculo natural do fitoplâncton em Puerto Marqués #Acapulco é impressionante, é um efeito criado por microorganismos do mar. O ruim é que o ser humano sempre estará lá para estragar tudo”.

De qualquer forma, vamos apenas tentar apreciar o espetáculo. Pode levar mais 60 anos até que retorne a essa praia em particular.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible

ANÚNCIO