‘Parentese’ não é apenas conversa de bebê e aumenta as habilidades de linguagem do bebê

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Esse estilo de fala ajuda pais e bebês a conversarem e aumentarem seu vocabulário

Se você é pai ou mãe ou já cuidou de crianças, há uma boa chance de você ter usado Linguagem de bebês antes.

'Parentese' não é apenas conversa de bebê e aumenta as habilidades de linguagem do bebê

É o estilo de fala que os adultos usam ao conversar com bebês, caracterizado por uma voz mais aguda, vogais longas e ritmo mais lento. Os pais usam esta comunicação em todo o mundo, muitas vezes sem que os adultos percebam.

Agora, um novo estudo está mostrando que bebês cujos pais usam sua língua para se comunicar, acabam com um vocabulário maior e mais habilidades de conversação.

É muito mais do que apenas um discurso agradável“, disse a principal autora do estudo Naja Ferjan Ramírez ao Bob McDonald, apresentador do Quirks & Quarks. “Ele usa palavras reais e gramática correta em um tom acolhedor e amoroso“.

'Parentese' não é apenas conversa de bebê e aumenta as habilidades de linguagem do bebê

Alguns adultos ao conversar com bebês, por outro lado, podem usar apenas uma combinação de sons e palavras tolas que, muitas vezes, usam gramática incorreta.

Ferjan Ramírez está no Instituto de Aprendizagem e Ciências do Cérebro, ou I-LABS, da Universidade de Washington. Sua equipe está tentando entender os benefícios desta comunicação para pais e filhos.

Estudos anteriores envolvendo exames cerebrais mostram que os bebês prestam mais atenção às palavras faladas no tom de seus pais do que na fala padrão.

“É essa mudança de tom que chama a atenção do bebê, que eles sabem que isso é direcionado a eles”.

Em um estudo recente – publicado na revista PNAS – eles investigaram o que aconteceu quando os pais foram treinados a usar mais parenteses em seus filhos.

Os pesquisadores recrutaram 70 famílias com bebês de 6 meses de idade e enviaram às famílias pequenos gravadores para gravar a fala dos pais e da criança durante dois dias consecutivos.

No fim de semana em que os bebês tinham 6, 10, 14 e 18 meses, esses gravadores gravam tudo o que o bebê ouve e diz, e isso nos permite medir a linguagem dos pais e da criança enquanto as famílias passam os fins de semana como de costume. “, disse Ferjan Ramírez

Surpreendentemente, todas as famílias já estavam usando algum tipo de parentese, algumas sem nem perceberem que estavam fazendo isso. Ferjan Ramírez pegou 48 famílias e as treinou sobre como maximizar o uso da parentese, usando-a de forma mais deliberada e em uma variedade de situações.

Quando os bebês tinham 18 meses, os pesquisadores fizeram uma gravação final do ambiente auditivo. Os bebês cujos pais foram treinados para usar a parentese tinham vocabulários de 100 palavras, enquanto os bebês cujos pais não foram treinados tinham um vocabulário de 60 palavras.

'Parentese' não é apenas conversa de bebê e aumenta as habilidades de linguagem do bebê

Eles também viram uma grande melhoria nas habilidades de conversação dos bebês.

A terceira coisa que vimos, com a qual ficamos muito entusiasmados, foi muito mais trocas entre pais e filhos. E sabemos, é claro, que trocas durante esse período de desenvolvimento são fundamentais para o desenvolvimento da linguagem infantil. “, disse Ferjan Ramírez.

Ferjan Ramírez acredita que a parentese funciona como uma ferramenta da linguagem, porque o ritmo lento e os sons exagerados das vogais podem ajudar a deixar bem claro quais palavras são importantes.

Usar mais parentese dá aos bebês a chance de ouvir a linguagem relacionada ao que eles estão pensando naquele momento”, disse ela. “Na parentese, os limites das palavras tendem a ser claros, e também há bastante repetição para que possa ser uma sugestão útil para os bebês identificarem palavras“.

Os resultados do estudo mostram que, embora todos os bebês tenham alguma exposição à parentese, conscientizando os pais sobre os benefícios, eles podem usá-lo de maneira mais deliberada.

“Muitos pais entraram nessa intervenção pensando que o uso da parentese não era necessariamente bom, que parecia bobo e que eles seriam julgados na rua se conversassem com o bebê assim”, disse ela.

Mas o que estamos tentando fazer aqui é dizer a eles: ‘Veja, isso é uma coisa boa. E tem todos os tipos de benefícios. E, por favor, continue.'”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: CBC