Minilua

Países ricos escutam heavy metal

Muitas pessoas acreditam que o gosto musical de alguém revela muito sobre sua personalidade, mas o que o povo escuta parece mostrar também o desenvolvimento do país.

Da pobreza a riqueza

O heavy metal tem origem no lado pobre da sociedade, vindo de bairros operários, onde cresceu com um som pesado e letras que muitas vezes desabafavam sobre a situação ruim das pessoas e os problemas locais. Depois disso, o estilo cresceu e ganhou diversas ramificações e hoje é escutado em vários lugares do mundo.

Em 2012, uma pesquisa feita por Richard Florida revelou os lugares do mundo que possuem mais bandas de metal no meio da população. O mapa ficou famoso e chamou a atenção de muitas pessoas, pois, a primeira vista, podia-se notar que os locais com mais bandas desse tipo pareciam ser também algumas das nações mais desenvolvidas:

Vendo isso, o mesmo pesquisador foi atrás de mais dados para entender melhor essa conexão.

A riqueza do metal

Os países nórdicos da Europa são reconhecidamente os locais com os melhores índices de qualidade de vida do mundo. Eles também são os que possuem o maior número de bandas de heavy para cada 100 mil habitantes, chegando a ter uma banda para cada 2 mil pessoas.

A conexão entre o heavy metal e a riqueza desses países é fraca, afinal poderia ser apenas coincidência. Só que a mesma coisa ocorre para quase todos os países do planeta. Ou seja, quanto mais metal um país escuta, mais desenvolvido ele parece ser.

Segundo o estudo feito por Richard, existem vários índices que estão relacionados com o gosto pela música pesada: Produção econômica per capita; nível de criatividade; empreendedorismo; níveis gerais de IDH e também o índice de bem-estar e satisfação com a vida.

Em praticamente todos os países, o número desses e de outros dados cresce da mesma maneira que o gosto por heavy metal, ou seja, quanto mais metal melhor é a vida das pessoas.

Claro que o fato das pessoas de um país escutarem um certo tipo de música não torna o local rico automaticamente, mas existe uma clara ligação entre o gosto musical e a riqueza local.