Paganismo e bruxaria serão ensinados em sala de aula

07

Agora cultos antigos, com diversos deuses, além de bruxaria, paganismo e druidismo também podem ser aprendidos na escola. Estas novas “aulas” serão incluídas no currículo de uma escola da Inglaterra, itens como “importância dos locais de adoração pagãos, como Stonehenge, e as dificuldades de um praticante de bruxaria nos dias de hoje” serão desenvolvidos com as crianças.

A proposta ainda tem encontrado muita resistência, porém a escola de “Cornwall County” quer dar aos alunos que não são cristãos igualdade, propondo que diferentes opções religiosas sejam incluídas na grade curricular.

A escola possui histórias de “práticas druídicas e pagãs”, além de alguns adeptos, então resolveu solicitar ao Conselho Municipal que fosse colocada no “mesmo nível” de ensinos como cristianismo, islamismo e judaísmo. Esta nova proposta inclui atividades a partir dos cinco anos de idade, quando a criança começa a aprender sobre a “história dos rituais”.

Somente aos 11 anos, quem estiver interessado poderá “explorar o paganismo moderno e sua importância para muitas pessoas”.

Para Neil Burden, membro do “Conselho de Ministros de Serviços para Crianças”, esta proposta dá aos alunos um acesso mais amplo as crenças religiosas. Em 2010, o governo inglês reconheceu o druidismo como uma religião.

Ativistas cristãos porém temem a evolução desta proposta em todo o país, pois acreditam que isso possa causar um “reconhecimento oficial” de uma religião, considerada por eles, “excentricidade”.

Apresentar o paganismo é apenas uma moda passageira e tem mas a ver com o desejo de ser politicamente correto de professores com as necessidades educativas das crianças”, disse o porta-voz do “Instituto Cristão de Cornwall”, Mike Judge.

Segundo dados do censo nacional, em 2001 existiam cerca de 40.000 pessoas denominadas “pagãos praticantes” no País de Gales e na Inglaterra, atualmente o número deve ser bem maior.

Adaptado de gospelprime

Receba mais em seu e-mail
Topo