Os bebês que nascerem no espaço irão parecer com aliens?

Com o avanço da tecnologia, alguns cientistas têm prestado atenção em como as animais grávidas reagem no espaço. Todos os tipos de criaturas, de salamandras a peixes e ratos. No entanto, embora mais de 60 mulheres tenham feito a jornada para o espaço sideral, um ser humano nunca experimentou uma gravidez fora deste mundo.

Com vários projetos explorando a possibilidade de futuras colônias espaciais, há uma chance de que – um dia – os humanos possam realmente dar à luz em gravidade zero. Como seria isso? Teria algum efeito no desenvolvimento? Alguns cientistas acreditam que os bebês espaciais teriam algumas características muito distintas…

É POSSÍVEL CONCEBER NO ESPAÇO?

Conceber um bebê com gravidade zero certamente poderia ser um desafio. Além do constrangimento, se a implantação fosse bem-sucedida, outros problemas continuariam a surgir. Por exemplo, para que os espermatozóides humanos migrem para o óvulo, a gravidade é por excelência. Aumenta significativamente a probabilidade de fertilização. Se a concepção do espaço de alguma maneira obteve uma fertilização bem-sucedida, agora precisamos nos preocupar com a maturação do embrião. Sem o fluxo adequado de fluidos do corpo da mãe para o embrião, pode haver um problema.

Estas são apenas as preocupações que o bebê enfrenta. No momento do nascimento, a mãe também corre um grande risco à saúde devido à perda de densidade óssea causada pela ausência de gravidade. Estudos demonstraram que, para cada mês passado no espaço, os astronautas perdem de 1% a 2% de sua densidade óssea. Isso é especialmente perigoso para a gravidez, pois a pélvis pode se fraturar durante o processo. Os médicos recomendam que as mulheres com ossos quebradiços evitem completamente o parto natural, o que significa que o nascimento no espaço provavelmente dependerá de outros métodos, como cesarianas.

 

MUDANÇAS FÍSICAS

 

É um fato conhecido que a maneira como damos à luz tem uma influência significativa em nossa anatomia. Por exemplo, o tamanho de nossas cabeças é restrito pelo tamanho do canal de nascimento de nossas mães. Portanto, com o uso de mais cesarianas, as cabeças de nossos descendentes seriam maiores devido à falta de restrição.

Normalmente na Terra, todos os fluidos do nosso corpo são puxados para baixo devido ao impacto da gravidade. Como isso não é possível no espaço, supõe-se que os bebês espaciais desenvolvam corpos inchados e rostos inchados. A pressão sanguínea também aumentaria na parte superior do corpo devido à gravidade zero, fazendo com que os olhos se abaulassem e o cérebro perdesse eficiência. A pele e a fraqueza mais pálidas também podem ocorrer devido à perda de conteúdo sanguíneo, à medida que o coração se atrofia, sem precisar trabalhar contra a gravidade.


Mas espere. Há mais [especulações]! Os bebês espaciais podem ter um novo tipo de pigmento na pele. A radiação do sol – sem o escudo protetor das camadas de ozônio da Terra – terá impactos desastrosos na saúde dos seres humanos, especialmente na saúde da pele. Isso levará a uma possível mudança de cor da pele, à medida que a evolução tentar neutralizar os raios cósmicos nocivos.

Então, aí está. Seus bebês espaciais futuristas se pareceriam (mais ou menos) com … o emoji alienígena. Cabeças maiores, olhos esbugalhados, ossos deformados e cores de pele totalmente diferentes seriam suficientes para os terráqueos considerá-los quase uma nova espécie.

Com o atual ritmo da tecnologia, a migração para o espaço está muito ao nosso alcance. Hora de se preparar mentalmente para uma futura família verdadeiramente fora deste mundo!

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys