Os astrônomos descobrem o ‘planeta mais extremo já visto’, onde a temperatura da superfície é de 3.200 ° C

ANÚNCIO

Os astrônomos descobriram o que eles estão descrevendo como o “planeta mais extremo já visto“, onde a temperatura da superfície é de 3.200°C.

Usando o telescópio espacial CHEOPS, pesquisadores da Universidade de Berna realizaram um estudo detalhado do exoplaneta, denominado WASP-189b.

ANÚNCIO

O planeta orbita a estrela HD 133112, que é uma das estrelas mais quentes conhecidas por ter um sistema planetário.

Gigante gasoso

Monika Lendl, que liderou o estudo, disse: “O sistema WASP-189 está a 322 anos-luz de distância e localizado na constelação de Libra (as balanças).

WASP-189b é especialmente interessante porque é um gigante gasoso que orbita muito perto de sua estrela hospedeira.”

ANÚNCIO

“Leva menos de 3 dias para girar sua estrela e está 20 vezes mais perto dela do que a Terra está do Sol.”

De acordo com os pesquisadores, o WASP-189b tem um lado permanentemente diurno e outro permanentemente noturno.

Os astrônomos descobrem o 'planeta mais extremo já visto', onde a temperatura da superfície é de 3.200 ° C
Foto: (reprodução/internet)

A Sra. Lendl disse: “Com base nas observações usando o CHEOPS, estimamos a temperatura do WASP-189b em 3.200ºC.”

Veja também: NASA tira fotos psicodélicas e deslumbrantes de ciclones em Júpiter

Júpiteres ultraquentes

“Planetas como WASP-189b são chamados de ‘Júpiteres ultraquentes‘. O ferro derrete em altas temperaturas e até se torna gasoso. Este objeto é um dos planetas mais extremos que conhecemos até agora.”

Como o planeta está muito longe, os cientistas não podem vê-lo diretamente. Em vez disso, o telescópio CHEOPS usa medições de brilho de alta precisão para detectar planetas.

Os astrônomos descobrem o 'planeta mais extremo já visto', onde a temperatura da superfície é de 3.200 ° C
Foto: (reprodução/internet)

A Sra. Lendl explicou: “Como o exoplaneta WASP-189b está tão perto de sua estrela, seu lado diurno é tão brilhante que podemos até medir a luz ‘ausente’ quando o planeta passa por trás de sua estrela; isso é chamado de ocultação. Observamos várias dessas ocultações de WASP-189b com CHEOPS.”

“Parece que o planeta não reflete muita luz das estrelas. Em vez disso, a maior parte da luz das estrelas é absorvida pelo planeta, aquecendo-o e fazendo-o brilhar. ”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua

Fonte: Mirror

ANÚNCIO