Orquestra da máquina de escrever em Boston

ANÚNCIO

Eles desistiram de usar papel, isso não afetou o som.

Este conjunto musical evita os instrumentos tradicionais em favor das máquinas de escrever vintage. Ao bater ritmicamente, rolar, girar e bater na Boston Typewriter Orchestra, transformou a palavra digitada em música.

ANÚNCIO

A banda começou em 2004 depois de levar uma piada muito a sério. Tim Devin se proclamou o maestro da Boston Typewriter Orchestra, e ele e um grupo de amigos transformaram a piada em realidade.

O grupo começou a ensaiar com máquinas de escrever antigas, desenvolvendo lentamente uma nova forma de música.

boston typewriter orchestra

ANÚNCIO

Depois de estrear sua performance no Art Beat Festival em Boston, o grupo começou a se apresentar em toda a área da Nova Inglaterra.

A banda usa máquinas de escrever antigas porque produzem sons únicos. Eles dizem que os modelos portáteis podem oferecer um bom som de tenor – seus toques rápidos nas teclas produzindo notas altas consistentes – mas que todas as partes dos dispositivos se qualificam como instrumentos.

Rolos giratórios, carrinhos deslizantes, sinos e até mesmo batê-los sobre a mesa contribuem para o som único da orquestra, com diferentes modelos, todos produzindo resultados diferentes.

“Um Smith-Corona Galaxy 12 possui uma função de espaço de potência que produz um som metálico agradável.” – jogador de máquina de escrever Brendan Emmett Quigley

O processo não é uma ciência exata, a banda martela as teclas semi-aleatoriamente antes de cair lentamente na música sincronizada. A banda originalmente datilografava com papel em suas máquinas de escrever, mas eles só acabavam sem sentido. Eles desistiram do papel, afirmando que não fazia diferença para o som.

Eles já se apresentaram no IG Nobel Awards e lançaram seu primeiro disco, que você pode obter em vinil!

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys

ANÚNCIO