O primeiro gato clonado não se parece nada com o original. Confira!

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Tudo começou com uma equipe de pesquisadores da Universidade Texas A&M, comissionada por uma empresa de clonagem de animais chamada Genetic Savings & Clone Inc. . Os cães estavam se mostrando difíceis de clonar, então alguns dos pesquisadores se concentraram em gatos.

CARBON COPYCAT

“Carbon Copy”, o gatinho em questão, nasceu como um experimento realizado há 18 anos e tinha como objetivo preparar o terreno para a indústria de clonagem de animais de estimação. Mas o experimento não foi como planejado. Apesar da ideia de que a clonagem é uma forma de duplicação, CC, abreviação de “Carbon Copy”, dificilmente se parece com o gato original de quem ela foi clonada.

O primeiro gato clonado não se parece nada com o original. Confira!

PROMOÇÃO DO PROCESSO

A equipe começou extraindo os núcleos das células da pele de um gato cinza. Então, usando um método chamado transferência nuclear de célula somática (SCNT), eles transferiram o núcleo da célula somática – que contém quase todo o DNA de um animal – para uma célula-ovo com o núcleo do gato cinza. A célula resultante possui DNA nuclear de apenas um “pai”, em vez de uma combinação de alelos de mãe e pai.

Como se pode imaginar, a clonagem é um processo delicado. Infelizmente, quando esses embriões foram implantados, eles não sobreviveram até o nascimento. Mas a equipe de pesquisa aprendeu com esse revés e continuou a avançar com ensaios e experimentações. Ao esterilizar uma chita chamada Rainbow, os cientistas pegaram algumas células dos ovários – para não serem confundidas com ovos – e usaram esses núcleos. Após várias tentativas e repetidas falhas, seu trabalho acabou por se concretizar e um clone nasceu.

No entanto, algo estava errado. O novo gatinho não era uma duplicata do Rainbow. Ela não era da mesma cor do gato original. Rainbow era uma chita, com manchas cinza e laranja; o novo gatinho, agora conhecido como Carbon Copy, tinha manchas cinzentas sem nenhum traço de laranja.

“Na verdade, não pensávamos que isso acontecesse na época”, explicou Duane Kraemer, membro da equipe da Operação Copycat. “Escolhemos Rainbow porque ela era a próxima gata a ser castrada.” Como a equipe sabia que o gado havia sido clonado usando células de ovários tinha sucesso, eles decidiram usar as células que seriam removidas da chita de qualquer maneira.

O primeiro gato clonado não se parece nada com o original. Confira!

Embora os cientistas não tenham previsto isso, eles acreditam que há uma explicação razoável para as características físicas do CC: um processo chamado “inativação do cromossomo X”.

 

IDENTIFICANDO A DIFERENÇA

Quase todos os gatos malhados são fêmeas; os genes para manchas pretas e cinza e os genes para manchas alaranjadas estão no cromossomo X. Portanto, um gato precisa de dois Xs para ter manchas pretas e laranja. Porém, apenas um gene colorido é “ativo” em qualquer ponto – os pontos alaranjados têm genes pretos inativos e os pontos pretos têm genes laranja inativos.

Ao selecionar uma célula do Rainbow, os cientistas escolheram inadvertidamente uma que só tinha o gene ativo para manchas cinzentas. Assim, nasceu um gato sem capacidade de formar manchas alaranjadas.

 

18 ANOS DEPOIS…

Mais tarde, Rainbow e CC foram adotados por famílias diferentes. Duane e sua esposa Shirley receberam CC. Eles construíram para ela uma casa de gatos de vários níveis e trouxeram um gato para ele viver. CC deu à luz quatro filhotes, três dos quais sobreviveram, tornando CC o primeiro animal de estimação clonado a dar à luz!

“Ela é uma mãe muito boa”, explicou Duane. “Shirley estava preocupada, então ela pegou mamadeiras e comida, e assim por diante pensando que CC poderia não se relacionar com os gatinhos. Mas CC era apenas uma super mãe. ”

Os proprietários também estavam preocupados com o fato de o CC não ser saudável. Afinal, a clonagem de mamíferos era uma ciência relativamente nova, resultando em muitos nascimentos e abortos questionáveis. Dolly, o primeiro mamífero clonado a viver o suficiente para obter publicidade, morreu famoso jovem.

No entanto, este não foi o caso com o Carbon Copy. De fato, CC ainda mora com seus donos, Duane e Shirley, e toda a família de gatos. Em dezembro, ela comemorou 18 anos. Como os gatos de interior normalmente vivem apenas entre 16 e 18 anos, o CC já está superando as probabilidades.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys