O número de mortos por tubarão branco na Austrália atingiu o nível mais alto em 86 anos

ANÚNCIO

Os especialistas acreditam que as temperaturas da água mais frias estão por trás do aumento do número de ataques não provocados e suspeitos de morte de grandes tubarões brancos desde Janeiro – o maior em 86 anos.

Andrew Sharpe se tornou a última fatalidade depois que o surfista foi morto em um ataque na sexta-feira em Kelp Beds em Wylie Bay, perto de Esperance, na costa sul da Austrália Ocidental.

ANÚNCIO

Um evento climático La Niña nos últimos meses tornou as águas mais favoráveis ​​para os grandes brancos, atraindo-os para a costa, dizem os cientistas.

Muitos ataques recentes

O Arquivo de Ataques de Tubarões da Taronga Conservation Society considerou seis desses incidentes como não provocados, enquanto um, em Julho, foi provocado.

Gary Johnson, 57, morreu depois de ser atacado enquanto mergulhava com sua esposa perto do ponto de encontro de tubarões Esperance em Janeiro.

ANÚNCIO

Zachary Robba estava nadando ao largo da Grande Barreira de Corais em Queensland em abril quando o guarda-florestal, de 23 anos, foi morto.

O número de mortos por tubarão branco na Austrália atingiu o nível mais alto em 86 anos
Foto: (reprodução/internet)

Rob Pedretti, 60, estava embarcando em Salt Beach perto de Kingscliff, no norte de New South Wales, dois meses depois, quando foi atacado até a morte.

Nick Slater, de 46 anos, foi morto por um suspeito grande tubarão branco enquanto surfava em Greenmount Beach na Gold Coast no mês passado.

A Dra. Phoebe Meagher da TCS disse ao Daily Mail que as fatalidades deste ano são seis vezes a média.

Veja também: Guarda Costeira abre fogo contra tubarão de 2,4 metros enquanto se dirige para a tripulação

Muitos ataques acontecem por curiosidade

O Dr. Blake Chapman, que é especialista em neurociência dos tubarões, disse que os grandes tubarões-brancos seguem as migrações de peixes como o salmão, que prefere águas mais frias.

“Para os grandes tubarões brancos, se os virmos morder alguém uma vez e depois irem embora, isso sugere que talvez eles estivessem curiosos e não estivessem na área em busca de presas, porque nada impede que um tubarão coma uma pessoa”, acrescentou o especialista.

Houve um total de 17 ataques não provocados de tubarão este ano, 18 em 2018 e 22 em 2015 – mas a última vez que esses incidentes resultaram em seis ou mais mortes foi em 1934.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua

Fonte: Mirror

ANÚNCIO