Minilua

O lado negro do Minilua #2

Depois de muitos pedidos finalmente decidimos postar uma creepy sobre o nosso tão estimado blog, na realidade o post de hoje é uma homenagem de um dos leitores, sendo que ele identificou-se apenas como Pedro.

Infelizmente perdemos contato com o leitor antes que ele nos enviasse um final, e… na verdade ele não explicitou que se tratava de uma creepypasta mas pressupomos que sim… Enfim, eu achei o conto genial e bem elaborado, fiquem hoje com a conclusão!

Para ampliarmos a sensação de suspense inserimos uma trilha para ser tocada acompanhado a leitura (não sejam covardes).

Minilua

 

Parte 3 – Conhecendo Sara

Meu nome é Sara, moro em Curitiba e vou contar o que aconteceu comigo nas ultimas semanas.

Era uma tarde como outra qualquer, eu estava em casa descansando após chegar da faculdade. Fiquei no sofá deitada enquanto assistia a um programa de variedades, e esperava a lasanha que eu havia posto para preparar no micro-ondas ficar pronta.

Em um dia normal eu ligaria meu computador para acessar o facebook e ler meus e-mails, mas naquele dia eu estava muito cansada, então comi minha lasanha, tomei um banho e fui para a cama.

Não costumava acordar no meio da noite, mas dessa vez, um barulho no meu quarto me despertou violentamente. A janela do meu quarto estava aberta e o meu computador estava ligado, eu fiquei confusa, pois não havia deixado ele ligado e nem sequer o havia ligado.

Levantei-me e fui até ele, liguei o monitor e me surpreendi ao ver que meu papel de parede havia sido alterado. Antes era uma foto minha com algumas amigas, mas agora era uma pintura muito antiga, de um lugar escuro, tenebroso, um luar despontando no horizonte iluminava uma árvore desfolhada a beira de um rio, e um vulto pairava sobre ela.

Ninguém poderia ter entrado em meu apartamento, pois morava no 6º andar isso seria impossível, mas não havia outra explicação, corri e fechei a janela, dessa vez passei a tranca. Corri até a sala de entrada e verifiquei se a porta estava fechada.

Não consegui dormir novamente e no outro dia chamei uma amiga da faculdade para dormir comigo, dando uma desculpa de que queria passar mais tempo com ela. Ela aceitou então fomos para casa, onde conversamos sobre assuntos diversos, mas minha atenção estava em outra coisa.

Na hora de dormir eu vasculhei todos os cômodos e janelas, tudo estava em ordem então me deitei. Eu havia mudado o papel de parede novamente, e me assegurei de que havia desligado o computador, mas na manhã seguinte ele estava ligado novamente, desta vez com o navegador aberto num site que eu conhecia.

Era o blog Minilua, para meu alívio minha amiga entra pelo quarto e me diz que havia acordado cedo e sem o que fazer havia ligado o computador antes de tomar banho.

Seguiu-se um dia normal, fui à faculdade, depois a um barzinho com alguns amigos e de lá voltei para casa. Algo estava estranho, senti um cheiro estranho ao entrar, era cheiro de alguma coisa morta. Abri as janelas liguei o ventilador de teto e fui tomar banho.

Chegou a hora de ir dormir e eu fiquei um pouco apreensiva, mesmo assim verifiquei as janelas novamente e deitei. Só que dessa vez um barulho ainda maior me acordou, pulei da cama olhei tudo ao redor, ele vinha do meu computador.

As caixas de som estavam ligadas e produzia um som como uma musica de circo. Liguei o monitor e o que apareciam eram imagens embaçadas em preto e branco, mesmo assim pude perceber um circo, havia um palhaço e uma platéia.

O palhaço não tinha a menor graça, era mais assustador do que engraçado, então comecei a prestar atenção ao que estava ao seu redor. Um circo de médio porte, uma platéia pequena talvez 20 pessoas, E o palhaço caindo no chão e rolando sobre alguma coisa pegando fogo.

As cenas se repetiram por algum tempo e de repente as imagens sumiram, mas o vídeo ainda não havia acabado. Foi então que aconteceu a coisa mais estranha que eu já havia visto. A câmera do meu computador ligou e começou a me filmar, mesmo com medo continuei olhando mas nada apareceu então eu fechei a janela e desliguei o computador.

Ao me levantar vi uma folha branca em cima da minha cama, eram palavra estranhas com poucas vogais. Não estava ali antes, quem então à havia colocado?

No dia seguinte levei a folha para a faculdade e mostrei para um colega nerd, ele transcreveu as palavras em um tradutor online, e a mensagem era clara e enfática.

HA UMA MALDIÇAO

QUEM IGNORAR MORRERA

EU ESTOU DENTRO DE VOCE

Não havia pontos ou acentos, apenas essas palavras.

Meu colega perguntou o que aquilo significava, mas eu preferi não contar nada e desconversei. Aquele dia foi o mais longo da minha vida e quando a ultima aula acabou eu corri pra casa, aquilo não podia acabar daquele jeito. Tinha que haver uma explicação.

Fiquei a noite inteira acordada olhando para o computador, eu sabia que em algum momento algo iria acontecer, mas como demorava eu acabei por cochilar. Quando por volta das cinco da manhã eu acordei com uma claridade vinda do monitor, corri até ele, desembacei os olhos e procurei por alguma coisa, mas era uma pagina em branco.

Não havia endereço, mas mesmo assim atualizei a página. Para minha surpresa foi parar no site Minilua, isso não seria tão estranho afinal ele poderia ter ficado no cachê, pois eu era leitora assídua do site, mas só havia um link sem imagem, eu cliquei nele e a pagina que apareceu era escura e havia um vídeo que iniciou sozinho, era uma menina estranha, ela tinha cabelos azuis e olhos puxados, eu percebi que aquilo não era uma gravação mas sim uma vídeo chamada. Segui-se o seguinte dialogo:

– Você esta em perigo

– Por quê? O que esta acontecendo?

– O Palhaço que você viu, ele quer você e todos os usuários deste site mortos

– Mas eu não entendo…

– Não da pra explicar agora, você precisa desconectar seu computador da tomada, ele não tem poder sobre você há não ser pela internet, eu estou te deixando uma lista de nomes e um livro com as formas de vencê-lo, você precis…e a conexão caiu.

Eu me virei e havia outra folha na minha cama, era uma folha escrita no mesmo idioma da primeira. Sob ela um livro pequeno de capa preta e letras em azul

Eu traduzi o que estava escrito pelo computador, e o que tinham eram instruções para fugir dos ataques do palhaço, e uma lista de nomes. Eu entendi o que tinha que fazer então coloquei algumas roupas numa mochila e viajei para o rio de janeiro algo iria acontecer e eu precisava impedir.

Cheguei no rio mesmo sem entender o que eu estava fazendo lá, algo me levou a pegar um ônibus que ia para Niterói, uma cidade grande daquele estado. Passei por uma ponte imensa que já havia visto na televisão e na internet, e me hospedei num hotel barato.

À tarde eu pedi ao dono do hotel para usar o computador, eu precisava ver aquela menina de novo ela precisava me dizer o que fazer.

Fiquei 2 horas atualizando a pagina inicial do Minilua e às vezes tinha a impressão de que uma bonequinha na tela se mexia, até que uma caixa de dialogo abriu no canto inferior esquerdo da tela.

Ela dizia: Procure na Praia.

Eu perguntei ao dono do hotel se havia alguma praia por perto e ele me respondeu que havia uma a poucas ruas dali.

Eu fui até a praia, com a lista e o livro, e sentei num banco enquanto esperava por algo ou alguém.

“Até que um rapaz sentou ao meu lado”

FIM DA PARTE 3

Parte 4 – Maldição Antiga

Dois dias depois do que aconteceu no meu quarto, eu sentia que teria que ir a São Paulo. Era como se alguém precisasse de ajuda e eu soubesse quem era e onde estava. Mas eu não tinha idéia disso.

Pra minha sorte eu levava meu notebook comigo, mas sem internet ele seria absolutamente inútil. Então ao chegar em São Paulo eu procurei um lugar que tivesse wi-fi.

Não foi difícil encontrar num shopping uma lanchonete que oferecia o serviço, eu sabia que dali em diante eu não poderia voltar atrás. Para minha surpresa tudo estava normal, acessei todos os sites que conhecia teclei com meu primo no MSN, tudo ia normal até que eu avistei uma garota.

Parecia que eu já conhecia ela, cabelos castanhos, olhar firme, pele clara, estava sentada a 2 metros de mim e olhava fixamente para meu computador. Perguntei se ela precisava de ajuda, ela olhou pra mim e sentou numa cadeira ao meu lado.

– Posso ajudar? – perguntei

– Você me conhece. – para minha surpresa não era uma pergunta-

– acho que você está me confundindo com..

E então eu percebi que era Sara a menina da praia, com quem eu tinha conversado há poucos dias.

– Você precisa me dizer exatamente o que esta acontecendo! – Disse eu já nervoso

– Eu tenho um livro, e este livro ensina a vencê-lo.

– Isso não é o suficiente nós precisamos saber o que está acontecendo, quem é ele?

– Quanto a isso fique tranquilo, eu quero que você conheça uma pessoa.

Ela digitou um endereço no meu notebook, esse endereço redirecionou-nos a uma pagina preta com um player de vídeo. A imagem se mexeu e uma menina pequena de cabelos azuis e olhos puxados apareceu na tela.

– Olá vejo que vocês estão juntos.

– Quem é ela – perguntei a Sara

– Deixe que ela se apresente.

– Meu nome é Pâmela, mas pode me chamar de Pam, eu vou explicar pra vocês exatamente o eu está acontecendo.

E iniciou uma narrativa absurda sobre uma maldição que circulava num site, gerada depois de um pacto do fundador deste site com forças das trevas. Ele havia prometido um sacrifício de almas para este demônio para que seu site obtivesse popularidade na web.

Agora as forças malignas estavam cobrando a promessa que outrora ele havia feito e iria pegar as almas dos próprios usuários daquele site caso ele não pagasse sua dívida.

Houve uma pausa no vídeo e eu perguntei a Sara se ela tinha entendido ela acenou que sim.

O vídeo retornou e Pam agora era uma animação:

– Vocês precisam seguir o que eu vou dizer caso vocês queriam se livrar de clown.

– Nós iremos matar ele? Perguntei

– De modo algum.

– Por que não?

– Por que ele é o meu pai.

Sara que estava ao meu lado soltou um sorriso, percebi que aquilo era novidade apenas pra mim.

– A única forma com que ele pode matar alguém é atingindo seu psicológico, levando a pessoa ao suicídio. Ele só pode se mover através da internet, portanto só há uma maneira de conte-lo prendendo seu espírito fora da rede, isso não dura muito tempo, pois ele rapidamente encontra uma nova entrada portanto vocês precisam ser rápidos e recitar um feitiço antes que ele volte para a rede. – disse Pam em tom didático

E continuou:

– Esse feitiço irá prender seu espírito novamente em outra dimensão de onde nunca deveria ter saído, Sara já está com o livro vocês precisam ser rápidos, pois as mortes já começaram…

E a tela fechou.

De fato sara me mostrou um comunicado no site sobre a morte de 2 moderadores por suicídio. E alguns usuários se afastaram segundo Sara.

Nós tínhamos pouco tempo então eu e sara fomos até o hotel onde ela estava hospedada. Eu também me hospedei nele, mas tudo deveria ser feito quando já não houvessem pessoas circulando pelo prédio.

As 2 da manhã eu e sara fomos até a recepção e perguntamos se havia acesso à internet naquele prédio, a recepcionista disse que sim apenas no escritório principal. Pedimos a ela sob a desculpa de uma emergência familiar que nos levasse até lá.

Era uma sala grande pedimos a ela privacidade, ela disse que não poderíamos demorar muito.

Ligamos o computador e esperamos, esperamos muito tempo e nada, de repente uma janela abriu e um vídeo de um circo começou a passar, era ele o palhaço, mas agora estava completamente diferente, não tinha mas o mesmo jeito de antes e agora ele apenas olhava para a platéia.

Em seguida começou uma movimentação nos bastidores e foram trazidos para o picadeiro um homem e uma mulher presos numa daquelas rodas de atirar facas. Eu não demorei a perceber que éramos Sara e eu, e então começou o show, o Palhaço atirava facas muito afiadas e elas entravam nos corpos daquele casal que gritava e tentava se soltar, ele apenas atirava as facas deliberadamente contra os corpos deles dois que não suportaram os golpes e morreram sendo em seguida jogados a platéia enfurecida que atacava os corpos.

Ele chegou perto da câmera com um olhar desafiador e como não parávamos de olhar e simplesmente atravessou a tela e agora um vento se movimentava pelo quarto. O cheiro de morte invadiu o local e nós não perdemos tempo retiramos os cabos da internet.

Agora ele estava preso no escritório com a gente e começou a empurrar os objetos na nossa direção. Sara começou a recitar um encanto em uma língua estranha e aquele espírito perdeu as forças e parou.

– Vencemos? – perguntei!

– Acho que s..

Antes que ela terminasse as janelas do escritório se quebraram, foi quando tudo ficou escuro e partir daí eu não me lembro de mais nada…

No outro dia eu acordei no hospital. A enfermeira me disse que eu fui sedado e levado para lá na noite anterior, pois eu estava descontrolado e queria me jogar pela janela do hotel.

Eu perguntei por Sara e a enfermeira me disse que ela não teve a mesma sorte que eu, e pulou pela janela antes que os seguranças chegassem.

Eu sei que o Palhaço ainda esta solto, e ele irá atrás de todas as almas que lhe foram prometidas, e eu vou ter que conviver com isso. Mas eu não quero mais participar disso, e acho que nunca mais vou conseguir acessar a internet, muito menos aquele maldito blog MINILUA.

 

Será?

 

Compartilhe com seus amigos no Twitter e Facebook!

Se quiser me adicionar no Face:

http://www.facebook.com/adrianosaadehminilua