O Homem que fez um dos maiores monstros do mundo

ANÚNCIO
ANÚNCIO

No bairro United Northwest de Indianapolis, um braquiossauro de 70 pés de altura se ergue sobre as patas traseiras.

Os pés da frente estão plantados no vidro verde do Museu Infantil de Indianápolis, com a cabeça atravessada por uma ranhura no topo do edifício.

Esta impressionante escultura eleva-se acima dos visitantes como uma atração formidável, mas também educacional.

O Homem que fez um dos maiores monstros do mundo

O artista que criou o Braquiossauro, Gary Staab, é conhecido por suas construções realistas de bestas pré-históricas de longa data – e por sua capacidade de projetá-las em uma escala de tirar o fôlego.

“Fizemos alguns dos maiores animais de todos os tempos”, explicou Staab sobre o trabalho realizado no Staab Studios, no Missouri.

“Fizemos o maior crocodilo, o maior tubarão, o maior dinossauro da época e o maior réptil voador”.

Ou seja, respectivamente, o Sarcosuchus, ou supercroc, megalodon, Brachiosaurus e Quetzalcoatlus, um animal voador do tamanho de uma girafa.

Mas antes que Staab tivesse a oportunidade de criar estátuas de monstros científicos, ele não tinha certeza se queria estudar biologia ou música.

Então, um dia, como calouro na faculdade, Staab visitou o Museu de História Natural de Hasting.

Como um amante da arte e dos animais, o futuro escultor foi cativado pelo conceito de fazer exibições educacionais.

Ele fez um estudo dirigido no museu para ajudá-los a criar animais modelo, depois fez um estágio no Smithsonian, outro no Museu Britânico de História Natural de Londres e, posteriormente, trabalhou no Museu de Natureza e Ciência de Denver.

Ele cria bestas pré-históricas para o público desfrutar desde então.

Recentemente, Staab ganhou as manchetes por sua construção de um megalodonte em tamanho natural, ameaçadoramente pendurado no teto do Museu Smithsonian de História Natural.

O animal, que foi extinto há 3,6 milhões de anos, era um parente dos tubarões-mako de hoje – mas o megalodon era maior que um ônibus escolar.

A construção da Staab tinha 52 pés de comprimento, 23 pés de comprimento nas nadadeiras e 34 pés de altura na barriga.

O Homem que fez um dos maiores monstros do mundo

Imagine colocar isso pela porta da frente do Smithsonian.

“Grande parte do meu trabalho é conseguir animais realmente grandes através de portas muito pequenas”, explicou Staab.

Quando o estúdio dele estava construindo a fera, eles também construíram uma réplica da entrada do Smithsonian.

Eles tiveram que fabricar o megalodonte em 21 peças, encaixá-las através das portas de seu estúdio, transportá-las para Washington, DC, colocar as peças dentro do museu e depois juntá-las, 83 pés no ar.

É muito trabalho, mas para a Staab vale a pena.

“Os cientistas têm apenas os ossos [de muitos animais pré-históricos], então eles precisam trabalhar com pessoas como eu para criar essas interpretações de animais”, explicou Staab.

“Para que possamos ter uma idéia melhor de como eram os animais no passado.” Staab pensa nas criaturas, de milhares a centenas de milhões de anos, como “marcadores” de seu tempo.

“Isso nos dá uma maneira de marcar um tempo”, continuou ele. “Olhar para trás com esses animais é uma maneira de viajar no tempo.”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys