O cara que assistiu à Netflix como meio de vida discute altos e baixos do emprego

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Para muitos de nós, assistir a séries na Netflix é nosso momento feliz.

Isso pode parecer um pouco monótono, mas quando você passa o dia / semana viajando, se molhando e conversando com pessoas de quem não gosta, então se sentar no sofá e se divertir com algum entretenimento de qualidade pode parecer um alívio abençoado.

O cara que assistiu à Netflix como meio de vida discute altos e baixos do emprego

Imagine então, se o seu trabalho fosse assistir todas as séries e filmes da Netflix – isso não seria divino? Bem, sim e não, segundo Rafael Ceribelli.

Trabalhando como etiquetador para o serviço de streaming entre 2015 e 2018, seu trabalho era assistir horas e horas de shows e filmes e atribuí-los com tags relevantes para ajudar os usuários a encontrar sua próxima série ou filme favorito.

Uma das principais razões pelas quais esse trabalho não é tão sonhado quanto parece é porque você não escolhe o que assiste – um contraste crucial com a exibição recreativa da Netflix. Mas como cineasta, Rafael conseguiu tirar alguns pontos positivos de assistir coisas que ele nunca escolheria.

Falando ao Tom’s Guide, ele disse: “Para ser honesto, é impossível apreciar tudo. Havia muito conteúdo que eu nunca assistiria como consumidor ou espectador da Netflix, especialmente o conteúdo infantil. Você não está assistindo apenas por diversão” .

“É engraçado porque é bom ver coisas que você acha que não são boas, porque então você pode identificar as falhas. Como, ‘Por que eles fizeram isso? Por que eu não gosto disso?’ você sabe?

O cara que assistiu à Netflix como meio de vida discute altos e baixos do emprego

Acho que toda a estrutura me ajuda como cineasta e roteirista“.

Naturalmente, Rafael descobriu muitos filmes e séries que ele amava, então ser pago para assistir a esses era claramente uma ótima posição para se encontrar.

No entanto, mesmo assim, não era o mesmo que uma farra de lazer, porque como analista de metadados ele teve que ser diligente com suas anotações, o que surpreendentemente diminuiu um pouco a experiência visual.

Rafael disse: “Tomei muito cuidado ao fazê-lo, mas houve momentos em que simplesmente pulei palavrões ou algo assim e fui avisado como ‘Oh, olha, havia algo aqui que você perdeu’.

O cara que assistiu à Netflix como meio de vida discute altos e baixos do emprego

“Não havia oportunidade para nenhuma tag de desonestidade ou piada ser atribuída ao conteúdo. Havia uma avaliação constante. É uma empresa que valoriza a qualidade em geral.

“Sim, muitos amigos disseram isso para mim ‘Oh, você tem o melhor emprego do mundo’, e é muito legal, porque eu adorava fazer isso, mas é um trabalho, afinal.

Não é como fazer pipoca e assistir a um filme. Você precisa estar muito ciente do que está acontecendo e ser responsável por suas escolhas no processo de marcação“.

Portanto, tenha cuidado com o que você deseja, punks.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible