Novas imagens mostram avião em chamas, enquanto piloto é acusado de negligência

ANÚNCIO

Surgiram novas imagens angustiantes de passageiros escapando de um avião em chamas após o pouso ao ser atingido por um raio.

O piloto do avião foi acusado de negligência pela morte de 41 pessoas no avião em Sheremetyevo, o aeroporto internacional de negócios de Moscou.

ANÚNCIO

thumbnail for post ID 12563244

As imagens foram divulgadas como parte da investigação criminal do desastre. Havia 37 sobreviventes, incluindo o capitão Denis Evdokimov, 42, que afirma que está sendo transformado em bode expiatório.

O avião retornou ao aeroporto após ser atingido por um raio, mas fez um pouso de emergência em Maio do ano passado. O avião parou com a traseira engolida por chamas.

ANÚNCIO

O primeiro slide de emergência foi implantado 17 segundos depois que o avião parou e o segundo foi aberto após 30 segundos.

Os passageiros rapidamente começam a pular o escorregador antes de fugir do inferno enquanto prestam serviços de emergência. Ontem, os investigadores acusaram Evdokimov de violar as regras de segurança e do controle negligente de seu avião, causando mortes em massa, danos à saúde e grandes danos.

As equipes de controle de tráfego aéreo e de resposta a emergências também foram investigadas, mas foram limpas de qualquer irregularidade.

O Comitê de Investigação da Rússia disse em comunicado: “Investigadores e especialistas estudaram os dados dos gravadores de vôo da aeronave acidentada, segundo a qual durante o voo a aeronave respondeu adequadamente às ações de controle do piloto”.

A advogada de Evdokimov, Natalya Mitusova, disse que estava sendo vítima de proteger a reputação da Superjet, uma aeronave fabricada na Rússia que enfrentou questões de segurança.

New footage shows jet slide along runway in ball of flames as pilot is charged with negligence

Ela disse que o avião não seguiu seus comandos, mas os promotores dizem que ele estragou o pouso ao entrar em um ângulo muito íngreme. O trem de pouso perfurou o tanque de combustível, causando uma explosão maciça, matando a maioria das vítimas por envenenamento por monóxido de carbono.

O capitão também afirma que, uma vez no chão, uma porta traseira do avião foi aberta, violando suas ordens e isso levou ao inferno no exterior do Superjet, envolvendo a cabine de passageiros.

A maioria dos passageiros que morreram estava sentada na parte traseira ou no meio da aeronave. Sem a porta traseira de emergência ter sido aberta, os passageiros teriam tido tempo de sair da cabine, afirma o piloto.

“Alguém da tripulação ou passageiros abriu a porta, após o que o fogo entrou na cabine”, disse Mitusova. O piloto acredita que está sendo preparado para encobrir o registro de segurança da transportadora. A equipe jurídica de Evdokimov também alegou que os serviços de resgate em terra demoraram a chegar ao local.

Novas imagens mostram avião em chamas, enquanto piloto é acusado de negligência

O vídeo foi cortado, de modo que não é possível ter certeza do tempo necessário para o início da pulverização – mas os passageiros ainda estavam emergindo nesse momento.

Os investigadores dizem que o Superjet foi atingido por raios em 16 ocasiões anteriores, mas foi a única vez que levou à catástrofe. Os heroicos comissários de bordo da Aeroflot salvaram dezenas de pessoas a bordo do voo de Moscou para Murmansk, mas 41 morreram no inferno, queimados vivos ou envenenados por vapores tóxicos.

Os promotores querem uma pena máxima de sete anos de prisão para Evdokimov, cujo pai era um respeitado piloto militar e major-general da força aérea soviética.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Metro

ANÚNCIO