Nirvana se reuniu para um concerto de caridade e a filha de Dave Grohl cantou com eles

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Em 1987, Kurt Cobain e Krist Novoselic juntaram-se para formar a banda Nirvana, que teve vários bateristas no início, mas foi em 1990 que Dave Grohl definitivamente permaneceu nessa posição e, assim, conseguiram se tornar um dos grupos mais populares do mundo na história.

Eles se tornaram o som que definiu uma geração inteira e seu vocalista prevaleceu como guia dos jovens nos anos 90, até que ele tirou a vida em 1994. Após sua morte, ele adquiriu um status de lenda da música. 25 anos se passaram desde a morte de Cobain e sua música ainda está presente naqueles que tiveram que viver esse momento, mas também nas novas gerações que foram cativadas por seu som.

Nirvana se reuniu para um concerto de caridade e a filha de Dave Grohl cantou com eles

No caso de Dave Grohl, como você sabe, ele formou sua banda Foo Fighters, com a qual teve um enorme sucesso como guitarrista e cantor, mas a verdade é que os fãs também esperavam vê-lo novamente na bateria, interpretando os temas icônicos do Nirvana.

Uma reunião dessa banda é impossível, a menos que seja no futuro, mas por enquanto eles ofereceram um concerto em uma noite de gala para o benefício de crianças e comunidades em situação de pobreza, e foi um momento único.

Grohl e Novoselic subiram ao palco novamente, acompanhados por Pat Smear para tocar verdadeiros hinos como Heart Shaped Box, com Violet Grohl na voz, a filha do baterista. Também esteve presente St. Vincent para cantar Lithium, outra das músicas mais lembradas da banda grunge que roubou os anos 90 com suas músicas, com as quais eles podiam alcançar quase todo mundo.

Em 1993, o Nirvana gravou seu mítico Unplugged, em um palco cheio de velas e lírios pretos que Cobain solicitou, e que muitos interpretaram como um “funeral”. 5 meses depois, ele cometeu suicídio.

Nesse concerto, ele destacou a música The Man Who Sold the World, uma capa feita para o grande David Bowie, e neste encontro foi um dos temas mais celebrados, com St. Vincent no violão e Beck na voz.

Um momento muito especial que, sem dúvida, o transportou para aqueles anos em que você sonhava em ser como Kurt Cobain.