Nenhuma bruxa foi queimada em Salem

ANÚNCIO

Os Julgamentos das Bruxas de Salem são talvez a série mais infame de caçadas literais da história, mas os puritanos realmente amarraram esses suspeitos sobrenaturais a estacas e os acenderam em chamas?

Queimar bruxas é quase tão sinônimo de Nova Inglaterra quanto lagosta, mas a imagem icônica de uma mulher pobre sendo queimada até a morte na fogueira pelas mãos dos puritanos na América é completamente falsa.

ANÚNCIO

Nenhuma bruxa foi queimada durante os julgamentos das bruxas de Salem. Com exceção de uma bruxa, todos foram enforcados pelo pescoço até morrerem ou morrerem na prisão.

salem witch trials

A caça às bruxas começou depois que três meninas – Betty Parris, Abigail Williams e Ann Putnam – começaram a ter “convulsões”. Se contorcendo no chão e falando sem sentido, o pai de Betty, um reverendo, junto com os médicos alegou que as meninas estavam enfeitiçadas.

ANÚNCIO

As meninas foram interrogadas para descobrir quem poderia tê-las enfeitiçado e apontaram os dedos para o escravo negro da família de Barbados – chamado Tituba – junto com duas mulheres idosas.

Sob pena de tortura, os acusados ​​também apontaram os dedos para os outros. Registra-se que Tituba disse que o diabo se aproximou dela diretamente. A vila montou um tribunal especial para investigar as bruxas e, antes do final do ano, havia enforcado 19 pessoas e colocado mais de cem na prisão.

tituba salem witch trialsUma representação posterior de Tituba.

Embora essa caçada possa parecer um ataque frenético de sensacionalismo, há algumas razões para acreditar que foram os planos maliciosos de Thomas Putnam e Samuel Parris.

Ambos eram comerciantes, mas Parris também era o reverendo da vila. Do modo como esses julgamentos funcionavam, uma bruxa condenada teve suas propriedades confiscadas e entregues à igreja.

Lembra da bruxa que mencionamos que não foi enforcada?

Giles Corey era um agricultor relativamente rico. Embora ele tenha sido inicialmente absorvido pelo fervor dos julgamentos – mesmo testemunhando contra sua própria esposa, sua atitude mudou quando a filha de seu rival o acusou de associar-se ao diabo.

Corey sabia que o tribunal estava atrás de sua propriedade e se recusou a se declarar culpado ou inocente. Como eles haviam feito antes, o tribunal tentou torturar uma confissão dele. Colocando-o entre duas tábuas no chão, eles começaram a empilhar pedras na vítima silenciosa, tentando literalmente espremer a verdade. Corey durou até que o peso o matou e até há rumores de que ele gritou com os torturadores para adicionar mais peso.

giles corey salem witch trials

No outono de 1692, a cidade vizinha de Boston protestou contra a loucura dos julgamentos de bruxas de Salem. O governador William Phips finalmente interveio quando sua esposa foi suspeita de bruxaria.

Ele suspendeu a força-tarefa das bruxas, estabelecendo um novo tribunal. Esse Superior Tribunal de Justiça finalmente liberou 53 dos 56 réus restantes e perdoou os três restantes, juntamente com outros cinco feiticeiros “condenados”, com destino a Gallows Hill.

Enquanto ninguém foi queimado vivo na América colonial, a prática era muito mais comum na Europa católica. Lá, bruxas e blasfemadores condenados por crimes “hediondos” podiam ser executados queimando, mas com mais freqüência eram mortos de outra maneira, seguidos por chamas para impedir mais magia negra. No momento da história, no entanto, a lei britânica reservava a queima para pessoas condenadas por traição.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys

ANÚNCIO