Museu dinamarquês encoraja visitantes a riscar uma Lamborghini Gallardo

Antes de tudo, saiba que as imagens que mostraremos a seguir irão lhe deixar com os cabelos em pé, ainda mais se você é daqueles que não suporta vez um único arranhão em seu carro.

Isso porque o museu dinamarquês ARoS Aarhus Kunstmuseum convidou seus visitantes para riscar uma Lamborghini Gallardo, como parte do parte do projeto “nenhum homem é uma ilha”.

No começo, todos ficaram apreensivos, pensando que haveria alguma consequência para o ato de “vandalismo”, mas depois que viram que não teria nenhuma penalidade, foi um show de riscos no carro esportivo alemão.

Agora, a Lamborghini ficará exposta até Setembro no museu e depois será devolvida para seu dono, o artista noruego DOLK.

E sabe o que as pessoas escreveram? Uma das primeiras palavras foi a palavra SKODA, uma marca de carro bem mais barata, mas também foram escritos agradecimentos, slogans e até mesmo cartas de amor, e todas elas serão preservadas.

Segundo a curadora do museu Pernille Taagaard Dinesen, a obra de arte, intitulada de “Low Key” teve o intuito de mandar a seguinte mensagem “cada coisa que você faz, cada ação, deixa uma na sociedade em que você vive. Nenhum de nós fica intocado, já que cada ação, por mais pequena que seja, tem um impacto no todo.”

“É tudo sobre mostrar como as ações destrutivas de cada um deixa traços e contribui para a sociedade cuja fachada está se desintegrando lentamente”, explica o dinamarquês Stiffen.

DOLK e seu galerista, Sjur Nedreaas, compraram o Lamborghini Gallardo especificamente para este projeto, mas nem eles e nem o museu de ARoS imaginaram que o dano seria tão extensivo assim. Por exemplo, as pessoas começaram a arranhar as janelas, o que não era permitido, e tirou as letras do nome “Lamborghini” na porta traseira. Agora apenas duas letras permanecem.

Ainda assim, Dinesen afirma que “uma vez que você renuncia ao controle, como fizemos no caso de “Low Key”, não se pode dizer que algo é proibido. O trabalho foi interativo, e agora podemos concluir que ARoS tem um público muito entusiasmado e interativo. ”

Na página do Facebook, muitos acusaram o museu de incentivar o vandalismo, alegando que, uma vez que, quando as pessoas passam por do limite, ultrapassá-lo novamente é muito mais fácil.

A curadora do museu concordou com o ponto de vista, entretanto, adicionou que o projeto dá o que pensar e ainda pode mudar o comportamento para alguém, “mas caso você faça isso em algum carro qualquer, isso será totalmente sua responsabilidade, uma vez o que incentivamos é riscar um carro aqui dentro do museu, e não na sociedade.”

Claro, temos aqueles que dizem a Lamborghini já é uma obra de arte em si e que o o porjeto Low Key é uma depravação da arte - se fosse assim, praticamente nada poderia ser alterado… - Mas DOLK respondeu ao comentário alegando que o impacto seria muito mais forte por ser uma Lamborghini.

Receba mais em seu e-mail
Carregar mais
Topo