Monte a sua matéria: Especiais #76

Pois é, e desde já, contamos com a sua participação. O e-mail? Jeff.gothic@gmail.com! A todos, uma excelente leitura!




Especiais

Por: Rodrigo Ludwig

O nascimento de um familiar com deficiência pode causar as sensações de aflição, angústia, apreensão e resistência. São sentimentos naturais oriundos da dificuldade de aceitação com relação à deficiência.

É compreensível, visto que se trata de um acontecimento contrário à expectativa criada pelos familiares. A reação é, em muitos casos, consequência da falta de esclarecimento acerca das habilidades que podem ser despertadas se forem oportunizadas as devidas condições para as pessoas especiais.

Há quem sinta pena. Realmente é uma pena que todos não possam desfrutar do prazer de tê-los em suas vidas. São pessoas naturalmente amáveis. Oferecem-lhe um sorriso, um beijo ou um abraço e não exigem nada em troca, talvez por acreditarem que a sua felicidade os fazem feliz também. De fato, nasceram diferentes.

Trouxeram consigo a dadiva de propiciar àqueles com quem convivem verdadeiros ensinamentos de altruísmo, compaixão, paciência, benevolência e valorização à vida. Ensinam que o amor aceita e respeita as diferenças, pois o aspecto físico e a capacidade intelectual não determinam a capacidade de amar.

São dotados da aptidão natural de transmitir amor, carinho, consideração e dedicação a todos que o cercam. Costumam ser o centro das atenções em seus núcleos familiares, se tornam os responsáveis pelo desenvolvimento da união e fortalecimento de suas famílias.

Ensinam-nos que os problemas são inevitáveis e, assim como eles, todos nós temos limitações e enfrentamos dificuldades. Mas a maneira que as encaramos faz toda a diferença. Com incentivo, coragem, força, determinação e perseverança conseguem vencer qualquer obstáculo imposto pela vida.

Atualmente é possível verificar grandes avanços quanto à adoção de políticas públicas que visam melhorar à aceitação e à inclusão social, entretanto ainda não é o bastante.

O caminho é árduo, a luta contra o preconceito e a discriminação continua. Portanto, é indispensável que haja a cooperação da sociedade conjuntamente com o Poder Público para que seja possível garantir a todos o direito à igualdade.

Eis uma singela homenagem àqueles que através de suas lições conquistaram o meu amor incondicional, o meu respeito, e, principalmente… a minha admiração! Tenho convicção de que a convivência com essas pessoas determinou quem sou hoje. Não melhor do que os demais, mas alguém capaz de valorizar o que realmente importa na vida.

Receba mais em seu e-mail
Carregar mais
Topo