Minilua

Monte a sua matéria: Resident Evil e a história do mercador #8

E no post abaixo, você confere uma pouco mais sobre Resident Evil. Conhece também, os principais cenários e etapas do jogo. Uma boa leitura!

                                                             Resident Evil e a verdadeira história do mercador

Por: Hericles Albuquerque

Tudo começou em Raccoon City, Robert Kendo era um comerciante local. Tinha uma loja de armas. Elas sempre foram sua paixão.  Abriu o negócio junto com o seu irmão, Joe, e nunca passaram dificuldades financeiras. Ainda mais depois que os assassinatos nas montanhas Arklay tiveram início, e os moradores queriam se proteger daqueles canibais.

Nessa época Robert Kendo tinha um grande amigo. Seu nome era Barry Burton, membro do S.T.A.R.S., o esquadrão especial da polícia de Raccoon City. Assim como Robert um colecionador de armas. Os dois costumavam ir pescar numa cidade vizinha. Tudo ia bem, até que a equipe de Barry foi enviada para as montanhas com o intuito de investigar os crimes bizarros que vinham ocorrendo.

Quando retornaram da missão, os integrantes do S.T.A.R.S. afirmaram ter lutado contra monstros horrendos, criados através de mutações provocadas por um vírus chamado “T”, criado pela Corporação Umbrella.

Por não terem provas, Barry e seus colegas foram ridicularizados devido a tais acusações, e a unidade S.T.A.R.S. da cidade acabou dissolvida. Porém, boa parte dos cidadãos de Raccoon, apesar de não terem acreditado completamente nas palavras dos policiais, ficaram de certa forma temerosos, pois as vendas da loja de armas aumentaram depois do ocorrido. O caso parecia encerrado, até que chegou o fatídico mês de setembro.

Os hospitais da cidade ficaram lotados. As pessoas queixavam-se de uma misteriosa doença que provocava dores de cabeça e irritações na pele. E, sem mais nem menos, as vendas triplicaram. Os moradores de Raccoon compravam espingardas, metralhadoras e até granadas, procurando se defender de um mal, que até o momento, Robert não fazia idéia de que existia. Devido ao enorme número de clientes, Robert começou a permanecer na loja durante as vinte e quatro horas do dia, sem ao menos ligar a TV para assistir ao noticiário.

Até que “eles” surgiram…

Feios, mal-cheirosos e sedentos de sangue. Sim, os zumbis, que até então Robert só havia visto nos filmes de televisão. Mais tarde descobriu que eram os cidadãos infectados pela moléstia anteriormente citada. O caos dominou as ruas. A polícia, auxiliada pelos soldados da Umbrella, tentava em vão conter as hordas de mortos-vivos. Desesperado, Robert apanhou uma espingarda e partiu pelas vielas em busca de seu irmão, a esperança era que ele tivesse saído da cidade a tempo.

Entretanto, não o encontrou. Quando Robert volta à loja, viu que ela havia sido saqueada. Armando-se com o que tinha restado nas vitrines quebradas, se escondeu em um refúgio atrás do balcão, tendo em mente a vã esperança de ser resgatado. Passavam-se horas, dias, uma verdadeira eternidade, até que a porta da loja se abre.

– Parado! – gritou instintivamente, engatilhando a espingarda, pronto para estourar os miolos do suposto zumbi. – Quem é você? O que está fazendo aqui?

– Não atire, sou humano! – foi a resposta do indivíduo.

Imediatamente Robert abaixa a arma, enquanto observava o recém-chegado com maior atenção. Tratava-se de um jovem por volta dos vinte anos, que trajava uniforme do Departamento de Polícia. Parecia imensamente assustado. Assim como Robert, era mais um sobrevivente em meio ao pesadelo.

– Oh, desculpe-me por isso, policial! – exclamou, caminhando até o ofegante rapaz. – Eu pensei que você fosse um deles!

Nem sequer perguntou o nome do sujeito, para Robert era apenas um estranho.

– Que diabos está havendo neste lugar? – indagou ele.

– Espere um pouco! – disse Robert, trancando a porta pela qual o policial entrara.

Assim que concluí a tarefa, Robert respondeu à pergunta:

– Eu não faço idéia! No momento em que percebi que havia algo errado, a cidade estava infestada de zumbis!

E, pensando em tudo que ocorria na antes pacata Raccoon City, Robert aproxima da grande vidraça que separava meu estabelecimento do beco onde se situava a entrada, fitando o chão distraidamente. o estranho vasculhava o balcão em busca de munição para sua arma, porém não Robert não se importou, Tudo já estava perdido para ele. Isso se tornou ainda mais certo quando se ouve o som de vidro sendo partido…

Para seu desespero, quatro zumbis haviam quebrado a vidraça, saltando sobre Robert antes que ele pudesse reagir com a espingarda. Gritando em tom angustiante, enquanto os dentes insaciáveis daquelas horrendas criaturas rasgavam seu corpo, fazendo com que seu sangue quente jorrasse sobre o chão da loja. A dor era imensa. A última coisa que ouviu antes de aparentemente perder a vida foi a porta dos fundos se fechando. O estranho fugira. De qualquer forma, não havia maneira de ele ser salvo daquela situação. Seus gritos cessaram e os zumbis prosseguiram o rasgando, até que tudo escureceu.

Robert acorda sem mais nem menos numa cama de hospital. Ao seu lado, Joe, irmão que julgava morto. Robert pergunta como havia ido parar ali. Ele apenas disse que Robert nascera de novo. Logo robert compreende tal afirmação.

Joe trabalhava secretamente para a Umbrella. Setor de Segurança. As acusações dos S.T.A.R.S. eram mesmo verdadeiras, pois a empresa realmente produzia armas biológicas em segredo. Robert descobre que Raccoon City fora destruída por um míssil nuclear dois meses antes, tempo que permaneceu inconsciente, devido ao vazamento do vírus “T”, que transformara todos os habitantes em zumbis canibais. No dia anterior a tal acontecimento, seu irmão, junto com uma equipe da U.B.C.S. (a tropa mercenária da Umbrella), encontrara a Robert sem vida, totalmente mutilado no chão da loja de armas. Inconformado com a morte de seu irmão, Joe exigiu uma atitude da Umbrella para que ele não revelasse os crimes da multinacional ao mundo. E, por incrível que pareça, eles o atenderam.

O cadáver de robert foi recolhido e levado para um laboratório na Europa, onde eles injetaram nele um vírus experimental. Dessa forma suas células voltaram à vida. Através de enxertos e transplantes, seu corpo foi “consertado”, permitindo que ele tivesse uma vida praticamente normal, assim como antes da epidemia em Raccoon. Entretanto, o preço foi alto…

“Lembro de quando contemplei minha imagem num espelho pela primeira vez após ter sido trazido de volta à vida. O susto foi grande. Meu corpo inteiro estava coberto por terríveis cicatrizes e minha pele possuía agora aspecto cadavérico. Além disso, meus olhos haviam ganhado uma sinistra coloração avermelhada”

Tornando-se uma aberração, passou a usar um sobretudo que deixava visível apenas parte do seu rosto. Pelo menos ele ainda estava vivo. Adotou como nova moradia um apartamento em Nova York, onde Robert permaneceu por muito tempo, visitado sempre por seu irmão. Após a falência da Umbrella, ele foi trabalhar numa fábrica de armas na Alemanha.

E, como sempre, algo ocorreu para perturbar o sossego de robert:

Através de algumas fontes confiáveis, descobriu que a população de uma vila no interior da Espanha estava agindo estranhamente, afetada aparentemente por algum tipo de parasita. E uma misteriosa seita, denominada “Los Illuminados”, pretendia obter benefícios em relação a isso. Para completar, a filha do presidente dos EUA fora sequestrada recentemente, sendo vista na região.

Robert começou a temer que o ocorrido em Raccoon se repetisse, Temer que pessoas inocentes sentissem a mesma dor que ele quando os zumbis o atacaram em sua loja. Por esse motivo, partiu secretamente para a tal vila espanhola, com o intuito de descobrir o que realmente estava acontecendo. Levando com ele sua boa e velha coleção de armas, salva por seu irmão da destruição de Raccoon.

E o inusitado ocorreu. Robert Kendo se depara mais uma vez com o estranho que entrara em sua loja pouco antes de seu “falecimento” em Raccoon. O mesmo policial, porém agora mais velho e trabalhando para o Serviço Secreto. Ele procurava a filha do presidente. Resolvendo prestar-lhe auxílio, vendendo-lhe as armas de sua coleção em troca de pesetas, o dinheiro local. Por que não dá-las de graça a ele? Bem, para um colecionador, é difícil se desfazer de uma arma sem receber nada em troca e, de certa forma, o preço cobrado por Robert é como uma punição por ele não ter tentado salva-lo em Raccoon.

Robert não tinha tempo, retornou com um bote até El Pueblo e de lá partiu para um local seguro…

“antes da chegada do policial, eu encontrei um tipo diferente de vela que fazia um fogo azulado, eu o usei para marcar meus esconderijos… Um pouco depois o policial chegou a vila.”

Em caminho adentro da vila, Robert viu os Gannados colocarem um Regenerador em pedaços dentro de um saco, um dos Gannados disse “Mais uma experiência que fracassa, mais parece que já estamos quase conseguindo arrumar esse defeito… Aconteceu isso também com um dos nossos lobos usados em testes, ele então acabou fugindo de nosso Lord e entrou floresta adentro em Pueblo”.

Ao acabar de vender seus objetos para o Policial, que pegou um elevador para onde Sadller havia subido alguns momentos antes, Robert tirou a bolsa de suas costas e seguiu por um caminho levando-o até uma saída que aprendera passando por ali muitas vezes em suas viagens, que por sinal tinha uma grande quantidade de suprimento, continuou seguindo em frente até que viu um Jet-Sky, mas não pode usá-lo, pois a chave não estava lá, Pegou então o remo e seguiu em um barco… Para uma nova vida.

Mais a frente, Ele viu o policial deixando o Jet-sky (que Robert tentou ligar) subindo em um helicóptero com a filha do Presidente, Depois voltou seu olhar para o céu, Continuando a remar, em direção a seu destino.

As dúvidas que ficam são:

Pra onde será que Robert foi?

E esse será o fim da sua história?

Será que talvez ele volte a aparecer em algum Resident Evil?

The End…?

Contato: http://www.facebook.com/profile.php?id=100001569332810

Créditos: Luiz Mendes (Goldfield)