Minilua

Monte a sua matéria: A verdadeira história da Pam #140

Pois é, e lembrando que todos os temas são aceitos: Política, esporte, religião. Enfim, sinta-se a vontade ok? O e-mail de contato: equipe@minilua.com! A todos, é claro, uma excelente leitura!

A verdadeira história da Pam

Por: Mateus Vasques

Tudo começou quando Ângela Augusta vivia sua vida tranquila e feliz, num lugar deserto e vazio, ela por costume sempre saia de casa a noite pra ver se não havia perigos pela redondeza, mais ela caminhava lentamente pela mata já que estava grávida de um homem desconhecido,nem sabia quem ele era.

Então ela parou entre o monte e descansou e ficou admirando a Lua, mas de repente a mãe sente dores e rompe a bolsa e sem poder ir ao hospital tem a filha pelo monte mesmo. Chegou em casa com o bebê entre as mãos e cortou seu cordão umbilical, decidira então, que criaria sua filha lá. O nome já era mais que decidido, de Pâmela ou Pam, pois era o nome dado na região de meninas que nasciam nos montes.

Pam, já com 8 anos começou a pensar que era diferente. Sua mãe nunca lhe contou e nem falou a respeito de sua cicatriz: uma “minilua”. Quando ia pra escola era afastada das coleguinhas pela marca, e algo mais era estranho em Pam: suas mãos que não tinham dedos. Aos seus 10 anos a mãe de Pam falece e deixa uma gorda herança, para que mais tarde aos seus 20, decidisse arrumar emprego na cidade grande.

Mais tarde, ela finalmente chegara ao seu destino, procurando, a partir daí, um hotel para se hospedar. Não conseguindo, ela decide então, morar em uma pensão. Ela abre então a porta, e encontra uma menina, a princípio muito tímida, e apreciadora de flores.

Ela, por sua vez, não saia da frente do computador. “Le Pam”, como era conhecida, gritou olá! e todos os moradores sairam de seus quartos para ver o que estava acontecendo e enfim, a garota lhe cumprimentou. Passa-se o tempo, e a garota vai atrás de seu notebook, e encontra, a partir daí, um site chamado “Megacubo”. Em um primeiro momento, não dá tanta importância ao fato, isso, claro, até encontrar a garota novamente, que havia retornado ao quarto. Ela pergunta qual o seu nome, e a menina responde:

– Me chamo Nandy, na verdade, e o que você viu é um site que sempre visito. Recebi recentemente, um convite para ser moderadora, e ganhei muitos paqueras (risos). Eles disseram, que eu seria moderadora, caso conseguisse uma mascote para eles. A garota surpresa, logo perguntara:
– Aceitaria então, uma minilua como eu?

– Simmmmmmmmm, seria uma ótima ideia!

O nome surgiu, e a mascote também, haja visto que tinha um bom perfil, e era charmosa para os garotos. Logo, Pam virou uma febre na Internet, e Nandy… Bem, era um começo de uma grande amizade!!