Moda cruel na China: cães são obrigados a carregar carroças repleta de turistas

Recentemente foi postado um vídeo que foi gravado na China aonde um homem aparece batendo em um cachorro deitado no chão. Qual o motivo dessa crueldade? O pobre animal está amarrado a uma espécie de carrinho, no qual o homem está sentado. O homem queria que o cão o carregasse, mesmo que ele não tenha forças para fazer isso.

Este é o vídeo chocante:

[youtube TJRrsjHztqQ]

Atualmente, está se tornando moda na China utilizar cães para puxar carroças ou turistas que chegam para visitar determinadas regiões. Eles são conhecidos como cães Taxi. Michele Brown, fundador da Fight Dog Meat, uma organização que luta contra o comércio de carne de cachorro na Ásia, espera que a moda não se popularize.

Uma forma muito dolorosa

[youtube UCOXR4Tz-pU]

Os cães ficam ligados aos carrinhos com cordas em seu corpo e na cabeça que pode, por vezes, ser puxada por um fio, algo que é doloroso e desconfortável.

Imagine para um cão o tamanho do esforço necessário para arrastar uma pessoa, se não fosse o bastante alguns carregam até três de uma vez, sem contar as cargas que excedem em muito o limite de peso que eles podem suportar.

Como se isso não bastasse

caminhão cão Chiquito empurrando turistas chineses

Como na China não existem leis para proteger os animais, nada de agradável tende a acontecer. Lembre-se que é um país onde comer carne de cachorro é bem visto, por isso, se um cão não dá mais para o trabalho exaustivo, ele será sacrificado para vender seu corpo para o mercado de carnes.

É difícil parar tais abusos, tudo isso por causa da falta de legislação; mas é muito fácil dessas práticas ganharem popularidade.

A pequena luz no túnel

cão chinês empurrando um carrinho com os turistas para cima

Ativistas já perceberam o fenômeno e, gradualmente, mais pessoas estão levantando suas vozes para proteger os animais na China, algo que vem aumentando o número de pessoas que têm os cães somente como animais de estimação, o que significa um impacto positivo. Mas ainda há muito a ser feito.

Queremos saber a sua opinião e não se esqueça de compartilhar a falar sobre esses abusos!