Mistério por trás do filme “O Bebê de Rosemary”

images (6)

O filme “O bebê de Rosemary” de 1968, é talvez uma das obras mais lembradas do cinema e, para muitos críticos, uma referência em suspense. O filme conta a história de um casal, Rosemary e seu marido, que se mudam para um apartamento em Nova York, onde começam a conviver com pessoas cujos hábitos incomodam Rosemary, porém ao contrário dela, o marido parece não se importar com a situação. As coisas acabam piorando com a gravidez de Rosemary.

Mas, assim como muitos filmes, O bebê de Rosemary também esconde muitos mistérios, que você pode conferir abaixo:

- A primeira opção de Roman Polanski, diretor do filme, para fazer o papel de Rosemary era sua esposa Sharon Tate, porém acabou optando por Mia Farrow.

- Dizem muitos curiosos que, para tornar as cenas de rituais e cânticos satânicos mais realistas, o diretor contou com a ajuda do fundador da Igreja de Satã, Anton Lavey, que também escreveu o livro “The Satanic Bibles”.

- O diretor do filme tentou manter a obra a cópia fiel do livro de Ira Levin, até mesmo os diálogos e o figurino foram adaptados pelas descrições do livro.

- A atriz Mia Farrow acabou se divorciando de seu marido, o cantor Frank Sinatra, ainda durante as gravações do filme.

- Cerca de oito anos após o lançamento do filme O Bebê de Rosemary, a TV americana produziu a sequência do filme, com nome “Look What’s Happened to Rosemary’s Baby”.

- O filme, por ter como tema principal a vinda do anti-Cristo, é considerado por muitos críticos a inspiração para filmes populares como “O Exorcista” e “A profecia”, na década de 70.

- O produtor do fime, William Castle, recebeu inúmeras ameaças de morte, por causa do tema “anti-Cristo”.

- Mia Farrow chegou a comer fígado crú para uma cena do filme.

- O bebê de Rosemary nasceu em 06 de junho de 1966 (6/6/66).

- Segundo a atriz Mia Farrow, as cenas em que Rosemary caminha em frente aos carros foi espontânea, pois o diretor disse “Ninguém vai atropelar uma mulher grávida”.

- Mais tarde a esposa de Polanski, Sharon Tate, que estava grávida, foi assassinada por Susan Atkins, membro da família Manson e ex-seguidor do fundados da igreja de Satã.




A MALDIÇÃ

- Em abril de 1969, William Castle foi internado com falência renal. Já no hospital, algumas pessoas afirmaram terem o ouvido dizer, enquanto ele delirava, “Rosemary, pelo amor de Deus, solte esta faca!”
- No mesmo hospital, o compositor da trilha sonora do filme, Krysztof Komeda, morreu por causa de um coágulo no cérebro.

- Cerca de 14 meses depois do lançamento do filme, Sharon Tate, que na época estava grávida de 8 meses, foi brutalmente assassinada, em um ritual, por membros da família Manson. Sharon foi esfaqueada 16 vezes e, na parede de sua casa foi escrito com seu próprio sangue a frase “Morte aos porcos”.

- O crime ficou conhecido como “Helter Skelter”, mesmo nome da música dos Beatles, que significa caos, decadência. Talvez a última coincidência seja o assassinato de John Lennon, cerca de 11 anos depois, na porta do prédio onde morava e mesmo edifício onde se passou a trama de “O bebê de Rosemary”.

Adaptado de Medo B

Receba mais em seu e-mail
Topo