Estigmata, o mistério que percorreu anos

Estigmata é a manifestação espontânea de feridas sangrentas nas mãos de uma pessoa, pés, testa e volta – semelhante ao das chagas de Jesus crucificado.

Desacreditado por muitos, este “fenômeno” tem causado aflição não só em quem sofre estas chagas, mas também a quem vê.

Estigmata, o mistério que percorreu anos

Nestas feridas muitas vezes há sangramento ou secreção de um líquido, e podem aparecer e desaparecer em questão de horas. É acreditado que geralmente só os santos e os mais devotos religiosos sofrem estigmas. Em muitos casos as pessoas chegam a sentir a amarração dos chicotes em suas costas.

Classicamente, aparecem estigmas em até cinco locais: nas mãos ou pulsos, pés e lados, e outras feridas, incluindo:

– Ferimentos causados por uma coroa de espinhos, embora às vezes invisível;

– amarrações ou açoite do chicote nas costas;

– A ferida do lado, causado por uma lança, ou lanceNail buracos nos pulsos, mãos ou furos de prego nos tornozelos ou pés.

O primeiro caso conhecido foi São Francisco de Assis, em 1222. Desde a sua época, foram mais de trezentos estigmas relatados. Georgio Bongiavani (foto abaixo) é uma das vítimas mais recentes conhecidas.

Estigmata, o mistério que percorreu anos

No seu caso, feridas nas mãos e na testa parecem aparecer e desaparecer quase à vontade. A explicação para os estigmas ainda é um mistério.

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem.