Medicamento criado pela inteligência artificial será usado em humanos pela primeira vez

ANÚNCIO

Uma molécula de droga “inventada” pela inteligência artificial (IA) será usada em testes em humanos em um acontecimento inédito no aprendizado da tecnologia a serviço da medicina.

Medicamento criado pela inteligência artificial será usado em humanos pela primeira vez

ANÚNCIO

Foi criado pela start-up britânica Exscientia e pela empresa farmacêutica japonesa Sumitomo Dainippon Pharma.

O medicamento será usado primeiro no tratamento de pacientes com TOC (transtorno obsessivo-compulsivo ).

Geralmente, o desenvolvimento de medicamentos leva cerca de cinco anos para ser julgado como eficaz e poder ser usado em humanos, mas o medicamento pela IA leva apenas 12 meses.

ANÚNCIO

O diretor executivo da Exscienta, Prof Andrew Hopkins, descreveu o evento como um “marco fundamental na descoberta de drogas“.

Ele disse à BBC: “Vimos a IA  diagnosticar pacientes e analisar dados e exames de pacientes, mas esse é um uso direto da IA ​​na criação de um novo medicamento”.

A molécula – conhecida como DSP-1181 – foi criada usando algoritmos que vasculham possíveis compostos, comparando-os com um enorme banco de dados de parâmetros.

“Para um ser humano é necessário tomar bilhões de decisões para encontrar as moléculas corretas e é uma responsabilidade enorme projetar um medicamento com precisão”, disse Hopkins.

Mas a beleza do algoritmo é que eles são mutáveis, portanto podem ser aplicados a qualquer doença”, acrescentou.

O primeiro medicamento será testado no Japão que, sendo bem-sucedidos, serão realizados mais testes globais.

A empresa já está trabalhando em medicamentos para o tratamento de câncer e doenças cardiovasculares e espera ter outra molécula pronta para testes clínicos até o final do ano.

“Este ano foi o primeiro a ter um medicamento projetado pela IA, mas até o final da década todos os novos medicamentos poderiam ser criados pela AI“, disse Hopkins.

Paul Workman, executivo-chefe do Instituto de Pesquisa do Câncer, que não participou da pesquisa, disse sobre o avanço: “Acho que a IA tem um enorme potencial para aprimorar e acelerar a descoberta de medicamentos.

“Estou animado para ver o que acredito ser o primeiro exemplo de um novo medicamento que agora está entrando em testes clínicos em humanos, criado por cientistas que usam a IA de uma maneira importante para orientar e acelerar a descoberta”.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: BBC

ANÚNCIO