Mãe exausta revida após gerente de restaurante reclamar com ela por amamentar

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Uma mãe exausta pela primeira vez teve uma resposta rápida quando foi “humilhada” pela equipe do restaurante por amamentar seu bebê prematuro.

Elizabeth Herzog estava alimentando sua filhinha de cinco meses, Georgia, nasceu prematura às 32 semanas, pesando um quilo e meio, quando o gerente veio fazer um comentário.

Ele bateu no ombro e pediu que ela “cobrisse um pouco”.

Mãe exausta revida após gerente de restaurante reclamar com ela por amamentar

A família levantou-se e saiu, com Elizabeth dizendo que se sentia “envergonhada e humilhada pela equipe“, mas não antes de ter algumas palavras com o gerente dos Red Robin Gourmet Burgers e Brews em Iowa.

Falando ao canal de TV americano WQAD, ela explicou que não gosta de cobrir a cabeça de Georgia durante a amamentação, pois ainda é bastante frágil devido à sua chegada prematura.

Ela disse: “Não parece uma tarefa tão grande, mas especialmente para ela, eu me preocupo … eu me preocupo muito porque você não pode ver o rosto dela“.

Antes de partirem, Elizabeth foi até o gerente para informar sobre a lei em Iowa.

Ele afirma: “Uma mulher pode amamentar seu próprio filho em qualquer local público onde a presença da mulher seja autorizada de outra forma“.

Ela pede mais restaurantes para acomodar as leis de amamentação, além de ajudar a acalmar as mães durante a amamentação.

Um porta-voz do restaurante disse: “Não era intenção da gerência do restaurante negar qualquer direito para o Convidado amamentar – nem negaram esse direito – ou fazer com que ela ou qualquer um de nossos Convidados se sentisse desconfortável, desajeitado ou desvalorizado”.

Red Robin está explorando a queixa e está trabalhando para informar toda a equipe sobre as leis.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Mirror