Início Utilidade Pública

Lockdown – saiba o que é e quais os estados do Brasil podem aderir

Atualmente, muito tem se falado em lockdown no mundo todo. Mas, você sabe o que é isso, o que significa de verdade e se ele já foi instalado no Brasil? Pode ser que você ainda não saiba, mas vários estados do país já aderiram ao lockdown. Nas próximas linhas, você descobre mais.

Aliás, vamos começar por falar sobre a tradução. lockdown nada mais é do que tranca rua. Logo, também é traduzido por isolamento rígido ou bloqueio total. Na verdade, são vários os nomes que definem a expressão americana.

Mas, para todos os casos, o objetivo se mantém: uma versão mais rígida para o distanciamento social. Basicamente, o lockdown acontece quando a recomendação do distanciamento social se torna algo obrigatório em um estado ou país.

Como funciona o lockdown

Se você nunca ouviu falar do termo ou se ouviu falar, mas não sabe nada sobre ele, a gente explica além da tradução. Atualmente, as cidades, os estados e as regiões possuem autonomia para instalar esse sistema quando julgar necessário e com base em estudos.

Logo, no mesmo país, nem sempre toda a população vai estar nesse confinamento obrigatório. Por outro lado, algumas cidades ou estados podem aderir ao lockdown enquanto outras julguem que isso não é necessário.

Dessa forma, o que acontece é que alguns setores da economia param de funcionar a partir do momento em que medidas restritivas são aplicadas – bem mais assídua do que um isolamento social, obviamente. Ruas e estradas podem ser fechadas, por exemplo.

Nos próximos dois tópicos vamos falar sobre o lockdown no Brasil. Mas, no último tópico deste conteúdo você vai ler sobre a efetividade do sistema. Por isso, leia até o fim e entenda se esse tipo de confinamento pode funcionar ou não aqui no nosso país.

O lockdown no Brasil

Vamos entender pelo fato histórico. Wuhan, na China, foi o lugar onde a pandemia começou. Assim sendo, essa cidade também foi a primeira a fazer o lockdown – o que acabou obrigando todo mundo a ficar em casa – sem ser uma questão opcional.

O resultado foi a paralisação de fábricas, a suspensão de aulas, o fechamento das fronteiras. Inclusive, na Europa, especialmente no norte da Itália, acontece o mesmo. E outros países, ao redor do mundo, tem aceitado essa forma restrita. Inclusive, o Brasil.

Aqui no Brasil, até a produção deste conteúdo, a gente teve a confirmação de algumas regiões que adotaram o lockdown, como Maranhão, Pará, Fortaleza e algumas regiões do Rio de Janeiro. Agora, veja um pouco mais sobre cada região dessa.

Lockdown nos estados do Brasil

No Brasil, o Maranhão foi o primeiro estado do país a adotar o sistema de lockdown no último dia de abril. Logo, a decisão veio da Justiça Federal do estado e começou a valer para 3 cidades, sendo: Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

Só que 8 dias após isso, o governador Flávio Dino anunciou a ampliação com o rodízio de veículos. Inclusive, o feriado de 28 de julho foi antecipado para 15 de maio.

Já no Pará, Helder Barbalho, que é o governador local anunciou as medidas para 10 cidades, como Marituba e Belém. Elas foram escolhidas com base no número de casos. Assim sendo, a medida começou a ser intensa e efetiva a partir do 2º dia.

Em Fortaleza, o lockdown começou em 8 de maio, onde ruas e avenidas foram bloqueadas. Logo, a circulação ficou bem restrita. Em supermercados, por exemplo, só era possível 1 pessoa de cada família ir às compras.

E no Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella, anunciou o bloqueio dos calçadões. Mas, para o estado todo, o governador Wilson Witzel, afirmou que estuda o bloqueio de estradas e circulação. O movimento foi apoiado pelo Mistério Público Federal.

O lockdown funciona mesmo?

Para se ter essa resposta, os governadores têm recorrido a estudos que estão sendo feitos sobre o lockdown. Um dos últimos foi lançado pela Imperial College, de Londres, na Inglaterra. Em resumo, ele diz que “o lockdown se provou efetivo na contenção da difusão do vírus”.

Além disso, o estudo chegou até o Brasil. Assim sendo, os responsáveis pela pesquisa avaliaram que “Na falta de intervenção mais forte, um crescimento substancial futuro da epidemia é esperado, levando a uma piora da crise na saúde”.

Meses antes, o mesmo colégio fez um estudo anterior focado em países que adoraram o lockdown. Em resumo, foi mostrado que há diferentes manifestações com base no que cada país recomendou à sua população.

Por exemplo, na Dinamarca foi proibida reuniões com mais de 10 pessoas. Na Alemanha, as reuniões podem acontecer para até 2 pessoas. Na França, as pessoas só podiam sair de casa com autorização. Na Itália, só era permito viagens essenciais. Na Noruega, somente pessoas que convivem juntas podiam sair juntas. Entre outras situações.

O que diz o Ministério da Saúde

Voltando novamente o assunto para o Brasil, saiba que o termo é previsto na diretriz do Ministério da Saúde. Assim sendo, conforme o Boletim Epidemiológico 8, de 9 de abril, o lockdown é uma das medidas do distanciamento social.

Logo, a tradução que o Ministério deu foi: “eficaz para a redução da curva de casos e para o tempo de reorganização do sistema em situação de aceleração descontrolada de casos e de óbitos”.

E tem mais: “o bloqueio total consiste em cercar um determinado perímetro, interrompendo toda a atividade por um breve período de tempo”. Para o novo ministro, Nelson Teich, o confinamento pode ser uma estratégia necessária.