Minilua

O lado bom e ruim do mundo

Quando olhamos para o passado, podemos notar que o mundo já foi muito mais desigual, injusto e perigoso. Muitas coisas boas foram feitas por quem vive aqui, porém, ao mesmo tempo, muitas outras coisas ainda precisam melhorar para que a humanidade chegue a um patamar de excelência:

Crianças

O lado bom: nos últimos 21 anos, a taxa de mortalidade de crianças abaixo dos cinco anos caiu em 41% e a quantidade de crianças subnutridas em países pobres caiu de 28% para 17%. Se compararmos os indicadores de problemas infantis, nenhum país tem piores taxas do que tínhamos nos anos 50.

O lado ruim: ao total, existem 210 milhões de crianças órfãs no planeta. Muitas foram abandonadas pelos pais, contudo, o maior número delas teve o azar de perder os pais para a violência. Mesmo com todas as melhorias, diariamente morrem 22 mil crianças por causa de problemas ligados a pobreza. Por ano, 2 milhões de crianças morrem de doenças tratáveis, por causa da falta de auxílio médico.

Dinheiro

O lado bom: na média mundial, um trabalhador recebe três vezes mais dinheiro do que em 1950. A taxa de renda cresceu 250% no século XIX e incríveis 900% no século XX, criando um mundo muito mais igualitário. Com o crescimento da renda se mantendo bem até o final do século, uma pessoa vai receber, em média, 100 mil dólares ao ano.

O lado ruim: a União Europeia subsidia a criação de vacas, dando 2,2 dólares por dia para cada animal. Isso é mais do que 1,2 bilhão de pessoas ganham para sobreviver diariamente. Mesmo com as melhores condições atuais, mais de 80% da população mundial sobrevive com o equivalente a 10 dólares por dia.

Educação

O lado bom: nos próximos trinta anos, a humanidade formará mais pessoas na escola do que o total de pessoas formandas em toda a história.

O lado ruim: atualmente, 70 milhões de crianças estão fora da escola. Na grande maioria dos casos, elas trabalham para ajudar a família.

Vida

O lado bom: dos anos 1800 para cá, a expetativa de vida do ser humanos dobrou. Em países desenvolvidos, a cada 10 mortes, 7 são de pessoas com mais de 70 anos.

O lado ruim: em países pobres, a cada 10 mortes, 4 são de crianças com menos de 15 anos e apenas 2 são de pessoas com mais de 70.