Jogos que acabaram em violência e mortes #2

A competição amigável tem sido um pilar humano desde os primórdios da civilização, uma maneira inocente para provar uma habilidade sem matar a outra pessoa no final. É mais limpo do que a guerra e infinitamente mais voltado para a família. Mas de vez em quando, as pessoas vão longe demais com o que deveria ser um passatempo saudável. É tudo diversão até que alguém morra.




O assassino de xadrez da Antártida

0124

A União Soviética começou a enviar expedições científicas à Antártida em 1955. Desde então, até uma eventual dissolução do país, em 1991, um total de 36 equipes se arrastaram para o terreno baldio frígido sob a bandeira soviética. A vida em uma estação de pesquisa da antártida desolada é notoriamente difícil, mas às vezes o isolamento realmente faz mal. Em 1959, um jogo de xadrez na Antártida acabou em um banho de sangue quando um pesquisador soviético desmembou o seu adversário com um machado.

Devido à seleção psicológica rigorosa que os pesquisadores precisam se submeter antes de uma estadia prolongada na Antártida, incidentes como este são poucos e distantes entre si. Em certas partes do continente, o sol se põe em fevereiro e não se levanta até agosto. A combinação de escuridão sem fim, temperaturas abaixo de zero, e, acima de tudo, extremo isolamento, pode levar a psique de uma pessoa ao ponto de ruptura. Essa é uma das razões pelas quais os soviéticos proibiram seus cosmonautas de jogar xadrez em estações de pesquisa. Ninguém quer que alguém tenha um colapso mental em um lugar onde ninguém pode ouvir você gritar.




Esposa mata o marido por causa de um jogo

0225

Em 29 de setembro de 1929, quatro pessoas em Kansas City sentaram-se para jogar uma partida de Bridge. Poucas horas depois, um deles estava rastejando no chão, rodada de tiros após rodada de um Colt. 32 com seu corpo tremendo e ensanguentado. A assassina era Myrtle Bennett, uma dona de casa de 35 anos de idade. A vítima era Jack Bennett, seu esposo que cometeu um erro no jogo.

Bridge é jogado com quatro jogadores divididos em equipes de dois. Os Bennetts estavam jogando contra os seus vizinhos do andar de cima, e a tensão aquecia com o passar da noite. Quando Jack cometeu seu erro fatal, Myrtle disse aos gritos que ele era um “jogador vagabundo”. Jack levantou-se, agarrou o pulso de Myrtle, e bateu com força em todo o seu rosto. O outro casal tentou acalmá-los, mas Jack ignorou e continuou a repreender sua esposa chorando. Por fim, ele anunciou que estava saindo para a noite e disse para Myrtle ir buscar sua arma. Ela obedeceu, e quando voltou deu a ele vários tiros.

A primeira bala foi perdida, mas a segunda rasgou sua axila. Quando ele se virou para correr, Myrtle avançou, disparando mais uma rodada de tiros em suas costas. Jack arrastou-se para fora da sala até o hall, onde finalmente morreu em uma poça de sangue.

No julgamento do caso, Myrtle pareceu um desastre emocional, e o júri a declarou inocente.




Esfaqueado por uma espada virtual

0322

O mundo dos jogos online é cheio de perigos, principalmente virtuais. Na vida real, o único perigo que qualquer gamer normalmente enfrenta é o seu coração disparando durante uma sessão de maratona de um jogo, e que quase nunca acontece. Mas, às vezes, o mundo do jogo transborda para o mundo real de maneiras inesperada. Em 2005, o jogador chinês Zhu Caoyuan foi brutalmente esfaqueado no peito por vender uma espada virtual.

Compra e venda de itens virtuais é bastante comum. Milhões de dólares de armas virtuais, poções e equipamentos estão à venda online. Mas para Qiu Chengwei, uma espada que ele tinha desbloqueado em The Legend of Mir 3 era seu maior tesouro, e ele não estava planejando vender. Quando ele emprestou a Zhu Caoyuan, que vendeu sua espada por 871 dólares, o único recurso era a vingança.

Qiu foi à casa de Zhu e esfaqueou-o no coração com uma faca de cozinha. Um júri deu Qiu a sentença de morte por assassinato.

Receba mais em seu e-mail
Topo
<-- /home/edenilson/web/minilua.com/public_html/wp-content/cache/static/https/minilua.com/jogos-que-acabaram-violencia-mortes-2/index.html //-->