Minilua

Os instrumentos mais macabros usados para tortura

Na Idade Média, a prática da tortura era muito usada para se obter informações de criminosos ou até mesmo de pessoas que não tinham nada a ver com o assunto, o impressionante é que até hoje alguns desses instrumentos são usados, mesmo com a prática tendo sido proibida durante a Convenção das Nações Unidas em 1984.

Em algumas dessas torturas, o objetivo era de apenas causar a dor, sem matar o torturado, enquanto que em outras, o individuo sangrava até a morte de uma forma muito lenta. Outro fato é que, caso alguém saísse vivo de uma dessas sessões, poderia morrer muito em breve por infecção, já que vários objetos não eram limpos depois de serem usados.

Confira alguns dos instrumentos de tortura mais conhecidos:

A Cadeira de Judas

Este aqui é um dos mais cruéis. A vítima era suspensa em cima da tal cadeira e depois, com as pernas abertas, a pessoa era descida lentamente pelo carrasco. A ponta que vemos na imagem encaixava-se em alguma parte entre as pernas – em qual, irá depender do torturador. Não era necessário peso algum, a não ser o da própria pessoa.

 

O Burro Espanhol

É bem semelhante à Cadeira de Judas, mas neste, o individuo é colocado em cima do instrumento sem nenhuma vestimenta, depois, são colocados vários pesos nos pés da vítima. Há relatos que falam que em algumas torturas o peso utilizado foi tanto que chegou a partir a pessoa ao meio completamente.

 

Esmagador de cabeça

A cabeça é colocada embaixo do capacete e, em seguida, o torturador começa a girar a parte de cima do dispositivo. Primeiramente, os dentes são destruídos e acabam rachando a mandíbula, depois, os olhos saltam para fora das órbitas e, por fim, o crânio se racha e tudo o que está dentro da cabeça começa a sair pelas rachaduras. Há casos em que, antes do primeiro estágio ocorrer, a cabeça é presa firmemente e o carrasco bate com um martelo no capacete, fazendo-a ecoar.

 

The Scavenger’s Daughter

O individuo era colocado como se estivesse encolhido no meio de um arco de metal que pudesse ser estrangulado. Como podemos ver na imagem, não havia mobilidade alguma e a vitima podia ficar sem receber sangue em algumas regiões do corpo, além disso, dependendo do quanto era apertado, poderiam ocorrer algumas fraturas pelo corpo.

 

The Rack

Era um aparato de madeira que possui dois roletes, um em cima e outro em baixo, e funcionava de maneira oposta ao Scavenger’s Daughter: pés e mãos eram amarrados e então presos nos roletes, depois, eles eram lentamente girados esticando braços e pernas até onde o torturador bem quisesse.

 

O Garfo do Herético

Este era um instrumento muito usado pelas Inquisições que ocorreram com fim de acabar com a heresia, e sim, eram usados pela Igreja Católica. O garfo possuía duas pontas em cada extremidade e era preso ao pescoço do “herético” – às vezes, a pessoa nem era herética, mas se a Igreja assim determinasse… Com ele, o individuo tinha de ficar com a cabeça erguida permanente, sem poder descansá-la. Não era fatal, já que não feria nenhum órgão vital e a perda de sangue era mínima, mas, em contrapartida, o individuo não conseguia dormir, pois se descansasse a cabeça ele se machucaria e a fadiga causada por esse método às vezes chegava a matar o torturado.

 

Me adicione no Facebook: Nandy Martins

E faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/