Homem torna-se o primeiro nos EUA a se infectar com coronavírus novamente em 48 dias

ANÚNCIO

Um paciente com coronavírus nos EUA foi reinfectado em 48 dias, sugerindo que a imunidade pode não durar muito.

O caso é o primeiro nos Estados Unidos e o quinto reinfecção confirmada em todo o mundo.

ANÚNCIO

O paciente, de 25 anos, vive em Washoe County, Nevada, e foi infectado com duas variantes distintas do SARS-CoV-2 em 48 dias, enquanto o teste era negativo entre as infecções.

Pessoas podem contrair o vírus mais de uma vez

Sua segunda infecção foi mais grave, com sintomas como febre, dor de cabeça, tontura, tosse, náusea e diarreia, resultando em hospitalização.

Felizmente, o paciente já recebeu alta do hospital.

ANÚNCIO

O Dr. Mark Pandori, que liderou o estudo, disse: “Ainda há muitas coisas desconhecidas sobre as infecções por SARS-CoV-2 e a resposta do sistema imunológico, mas nossas descobertas indicam que uma infecção anterior por SARS-CoV-2 pode não proteger necessariamente contra infecções futuras.”

“É importante notar que este é um achado singular e não fornece generalização deste fenômeno. Embora mais pesquisas sejam necessárias, a possibilidade de reinfecções pode ter implicações significativas para a nossa compreensão da imunidade COVID-19, especialmente na ausência de uma vacina eficaz.”

“Também sugere fortemente que os indivíduos com teste positivo para SARS-CoV-2 devem continuar a tomar precauções sérias quando se trata do vírus, incluindo distanciamento social, uso de máscaras faciais e lavagem das mãos.”

Leia também: Coronavirus: empresa britânica afirma ter desenvolvido teste instantâneo de respiração para Covid-19

5º caso de reinfecção no mundo

Este é o quinto caso confirmado de reinfecção em todo o mundo, com outros casos confirmados na Bélgica, Holanda, Hong Kong e Equador.

Algumas pessoas que posteriormente testaram positivo para o coronavírus experimentaram uma sensação de 'efervescência' na pele
Foto: (reprodução/internet)

No entanto, apenas o caso do Equador apresentou uma reação mais grave na segunda infecção.

Dr. Pandori disse: “Precisamos de mais pesquisas para entender por quanto tempo a imunidade pode durar para pessoas expostas ao SARS-CoV-2 e por que algumas dessas infecções secundárias, embora raras, estão se apresentando como mais graves.”

“Até agora, vimos apenas alguns casos de reinfecção, mas isso não significa que não haja mais, especialmente porque muitos casos de COVID-19 são assintomáticos. No momento, só podemos especular sobre a causa da reinfecção.”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua

Fonte: Mirror

ANÚNCIO