Homem preso por usar nota falsa do médico alegando que ele tinha coronavírus

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Um homem da Carolina do Sul teria usado um atestado médico falso alegando ter o coronavírus (Covid-19), o que resultou em seu local de trabalho tendo que desligar por cinco dias e ser higienizado.

Jeffrey Travis Long, 31, foi preso na quinta-feira e acusado de quebra de paz e falsificação, disse o xerife do condado de Spartanburg Chuck Wright durante uma entrevista coletiva.

Homem preso por usar nota falsa do médico alegando que ele tinha coronavírus

Long, de Inman, na Carolina do Sul, estava trabalhando na Sitel Corporation – um call center no condado de Spartanburg – quando mostrou a seu empregador um atestado médico que alegava ter sido positivo para o coronavírus.

De acordo com o MailOnline, Long não é mais empregado pela empresa, mas logo após mostrar aos chefes a carta, Sitel fechou suas instalações por cinco dias enquanto eles higienizavam o prédio em uma tentativa de proteger os outros membros da equipe.

Segundo as autoridades, Long também visitou uma escola em que seus filhos frequentam, fazendo com que as autoridades se preocupem com a exposição de outras crianças e famílias.

O xerife Chuck Wright, do condado de Spartanburg, disse à AP: “Não sei o número de dólar que custou para desinfetar todo o prédio inteiro, mas era um número grande. Não eram cem dólares. Era mais do que isso”.

Wright continuou: “Parece-me que o sujeito só queria umas férias pagas de duas semanas. Você não pode fazer isso com as pessoas”.

As autoridades do hospital disseram à polícia que não haviam visto Long no período anterior de duas semanas, e seu bilhete não tinha um selo oficial da instalação, como normalmente, disse Wright.

De acordo com o chefe de polícia de Inman, Keith Tucker, o hospital Long afirmou que o viu nem sequer estava realizando testes de Covid-19 na época.

A nota dizia: “Prezado Sr. Long,

Homem preso por usar nota falsa do médico alegando que ele tinha coronavírus

“Estou escrevendo a seu pedido para fornecer uma nota para o seu trabalho sobre os dias que faltam.

“Você foi atendido na Atenção Básica 1 aqui no CGVAMC em 12/12/2020 com um teste positivo para o vírus COVID-19. Você pode voltar ao trabalho em 27/03/2020 após testar novamente em 27/03/2020.

“Por favor, deixe-nos saber se você precisar de mais alguma coisa.”

A Sitel Corporation divulgou na quinta-feira um comunicado à WSPA-TV, que dizia: “Em 13 de março, informamos às autoridades que um funcionário em nosso site em Spartanburg, Carolina do Sul, relatou testes positivos para o COVID-19.

“Uma vez relatado, evacuamos imediatamente os funcionários do local de Spartanburg e realizamos uma higienização rigorosa de toda a instalação.

“Hoje, o escritório do xerife do condado de Spartanburg alertou Sitel de que esse funcionário fez alegações fraudulentas sobre testes positivos para o COVID-19.

“Com base nessas alegações fraudulentas, o Gabinete do Xerife de Spartanburg emitiu um mandado de prisão para esse indivíduo. O indivíduo não está mais empregado na Sitel.

“Atualmente, estamos trabalhando em estreita parceria com o Gabinete do Xerife do Condado de Spartanburg e, como essa é uma investigação em andamento, encaminharemos todos os pedidos de declarações ou informações sobre essa investigação ao Gabinete do Xerife do Condado de Spartanburg.

“No momento, nosso foco está na segurança e no bem-estar de nossos funcionários que retornaram ao trabalho em nossa unidade de Spartanburg na quarta-feira, 18 de março de 2020.”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible