Descubra 5 hábitos financeiros positivos que aprendemos durante a pandemia

Para quem achou que a pandemia seria algo passageiro, a verdade foi bem dolorida. Além do mais, se você achou que nada iria mudar neste período, também se enganou. Mas, a gente pode tirar algo bom da situação, como esses hábitos financeiros positivos listados abaixo.

Por conta dessa “demora” em acabar a crise do coronavirus, o que aconteceu foi que muitos novos hábitos começaram a ser introduzidos no dia a dia do brasileiro e de todas as pessoas do mundo todo.

Mas, você já se perguntou quais deles continuarão após o final desse distanciamento social? Ainda é cedo para responder isso, é verdade. No entanto, nós vamos listar alguns daqueles que possuem grande possibilidade de terem vindo para ficar – literalmente.

1 – As compras online

Muitas pessoas torciam o nariz quando se falava em fazer compras online. No entanto, com a “necessidade” de continuar adquirindo os produtos sem sair de casa, esse tabu acabou sendo quebrado por milhares e milhares de pessoas.

Para você ter uma ideia do quanto esse mercado cresceu, saiba que de acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 61% dos clientes virtuais começaram a comprar mais online por conta do isolamento social.

ANÚNCIO

No topo dos produtos mais vendidos estão alimentos e bebidas, que apontam um crescimento de 79%. Assim, nos próximos meses com certeza vamos ouvir falar ainda mais daqueles aplicativos de entrega, como o iFood e outros.

2 – A avaliação de preço

Além da facilidade de comprar, muitas pessoas se depararam com um novo mundo na internet. De onde é possível pesquisar os preços de produtos em poucos minutos e sem a necessidade de sair de casa.

Portanto, temos mais um dos novos hábitos financeiros positivos que surgiram recentemente. Assim sendo, sair pelos calçadões afora no Brasil para comprar um celular, sofá, mesa ou qualquer coisa não é mais uma exigência. Afinal, você poderá comparar e comprar online.

Sem falar que isso tipo de compra faz com que as pessoas gastem menos, tanto pela não necessidade de ir a outra loja para fazer comparação ou por conta da insistência do vendedor, que usa diversas técnicas de venda.

Assim, sites como Buscapé, responsável por busca e comparação de preços entre lojas poderá ser muito mais acionado que os próprios vendedores.

3 – O “faça você mesmo”

A ideia de resolver alguns problemas dentro de casa, como reaproveitar roupas ou objetos fez com a DIY (faça você mesmo), se tornou popular. Aliás, DIY é uma expressão da internet que se refere a fazer as atividades você mesmo.

Assim sendo, você pode reparar que seus vizinhos ou amigos começaram a fazer tarefas por conta deles mesmos. E um exemplo disso são aqueles que decidiram pintar suas próprias casas ou quem se aventurou com a maquininha e fez aquele novo penteado ou barba.

Talvez, a quarentena tenha incentivado que essas novas ações e é possível que elas acabem se tornando um novo hábito. Até mesmo porque além de usar criatividade, elas nos ajudam a aproveitar melhor o tempo livre e ainda faz com que consigamos economizar dinheiro.

4 – O trabalho home office

Por muitos anos, o home office não era bem visto por uma parcela da sociedade, que insistia em pensar que o trabalho tradicional era a melhor ideia – com a carga de 8 horas diárias e direitos da carteira de trabalho.

Inclusive, alguns acreditavam que não era uma forma produtiva, que não era possível trabalhar sem sair de casa ou até se referiam com uma conotação pejorativa de quem não se esforçava para arrumar algo que considerava melhor.

Contudo, a realidade mudou e bateu forte de todo mundo. Assim, quem não acreditava nesse tipo de trabalho teve que engolir seco e se adaptar a nova realidade – ou iria ficar para trás. Mesmo porque muitas empresas perceberam que esse tipo de trabalho é muito mais barato.

Para esse tipo de emprego ganhar força nesses últimos dias, o que aconteceu foi uma verdadeira oficina de testes. Só que em muitos casos, parece ser um caminho sem volta. Por exemplo, os funcionários do Facebook e Twitter não voltarão mais a trabalhar em escritórios.

5 – O entretenimento barato

Não poderíamos deixar de citar as famosas lives de música, né? Que duram horas e horas e fazem o maior “badulabaco” na internet com as postagens após e durante os shows.

Em tempos que não é possível fazer aglomerações para shows, essas apresentações online fizeram a alegria de milhões pelo mundo todo. E isso não quer dizer que os shows presenciais irão acabar – até porque a experiência de estar no local e perto do ídolo.

Mas, ainda assim, acredita-se que os artistas não vão parar com as lives, provavelmente haverá novos modelos, como com a presença de público, horários reduzidos e ambientes mais espaçosos.

Por exemplo, os museus, as exposições e os outros espetáculos também começaram a mostrar seu conteúdo online, pela internet. E isso também pode ser algo que ficará como legado da pandemia.

O copo meio cheio

É claro que não é fácil falar de copo meio cheio para quem perdeu entes queridos ou teve muitos problemas, como o desemprego, nessa crise. Mas, de fato, a gente ainda assim pode ter uma visão menos negativa. Aprender com o erro, talvez seja uma boa ideia.

hábitos financeiros positivos

Por isso, essas dicas acima, ou melhor esses hábitos, podem ser uma nova forma que você tem que ver a vida e a questão financeira. Inclusive, você mudou outros hábitos nesses dias também? Conte mais disso abaixo.

ANÚNCIO